My home

Tem móveis em casa que já não quer? A IKEA paga por eles

Pegue na máquina fotográfica e tire as melhores imagens de várias perspetivas — isso pode valer-lhe algum dinheiro.

Esta secretária pode dar jeito a alguém.

A IKEA lançou a “Segunda Vida”, uma campanha onde são os clientes quem vendem os móveis da marca sueca à própria marca sueca. O método é simples: vai ao site oficial e escolhe a loja que quer (por enquanto, serviço só não está disponível em Loulé). Depois, carrega na imagem dedicada à “Segunda Vida” e preenche o questionário (com perguntas sobre o tipo de móvel, largura, descrição e se tem danos visíveis). No final, faz o upload de três fotografias do artigo — com a maior qualidade possível. 

E depois? Depois é só aguardar por uma proposta da IKEA com o valor que pretendem oferecer pelo móvel. Contactada pela NiT, a marca sueca não quis indicar qual é o valor mínimo por artigo nem o prazo que demora a responder a cada pedido.

No entanto, tome já nota de algumas informações importantes. A IKEA aceita gamas descontinuadas e atuais de sofás, poltronas, repousa-pés, estantes, móveis individuais com uma estrutura, mesas e cadeiras de sala e de cozinha, secretárias, cómodas, mesas de cabeceira e armários.

Por outro lado, a IKEA não compra acessórios, decoração e têxteis, plantas, roupeiros, camas e colchões, móveis de cozinha e casa de banho, berços, trocadores e brinquedos, cadeiras de escritório, prateleiras, combinações (das linhas METOD, BESTA, ALGOT, OMAR, IVAR e ELVARLI), ferramentas e eletrodomésticos. 

Embora não seja obrigatório o comprovativo da compra, a marca sueca só aceita móveis montados. Curioso, não?

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo