NiTfm live

Decoração

Ding Dong: a nova loja de decoração de Lisboa onde tudo é pensado ao pormenor

Abriu no início de outubro, junto aos jardins do Palácio de São Bento.

Michael Miranda é arquiteto, Davide Gomes assume-se como engenheiro do ambiente com pós graduação em Gestão e Maria João Gonçalves responde por desenhadora. Juntos abriram a Ding Dong, a nova loja de decoração — que é muito mais do que isso, mas já lá vamos — perto dos jardins do Palácio de São Bento, em Lisboa, a 9 de outubro.

Na verdade, a história desta empresa começou em 2012. Na altura, os três sócios inauguraram um espaço no Porto onde ainda hoje desenvolvem projetos diferenciados. “A marca está vocacionada para a criação de projetos de aquitetura e interiores com atmosferas intemporais. Desde a sua formação, tem vindo a desenvolver ideias que mereceram destaque em algumas das mais respeitadas publicações da especialidade”, conta à NiT Michael Miranda.

Tem propostas de vários estilos.

Depois de sete anos a investir a Norte, a Ding Dong decidiu instalar-se na capital do País com um serviço totalmente personalizado. A ideia é que os clientes entrem com tempo para poderem explicar tudo aquilo que pretendem e seja criado um cenário que vá ao encontro dos seus sonhos — e possibilidades monetárias, claro.” A Ding Dong é muito mais do que uma simples loja. É um mostruário inegável da qualidade, criatividade e identidade que caracterizam os projetos”, diz.

Para criarem as divisões de sonho dos mais variados tipos de clientes, os três sócios têm dezenas de peças de arte e mobiliário exposto na loja, que vão desde papéis de parede, alcativas, sofás, mesas, almofadas, candeeiros, quadros e estantes, entre outras propostas, de dezenas de marcas.

São elas, por exemplo: Kevin Reilly, Vaughan, Galerie MCDE Edition Pierre Chareau, Veronese, Molteni, Poltrona Frau, Baxter e Cassina. Existe ainda uma área com artigos e decoração para mesas de marcas, como St. Louis, Lalique, Hèrmes, Jean Louis Coquet e Jaune de Chrome — “às quais se juntam as pratas da Puiforcat, Greggio e Ercuis”.

 

Do moderno ao vintage.

Tal como acontece em todas as lojas de decoração, os preços são muitos variáveis. Para ter uma noção, saiba que o artigo mais barato é uma esponja para a loiça a 5€. Já o mais caro é uma consola da Altuglass do artista francês Charlie Bounan que custa 14 mil e 700 euros.

A Ding Dong está aberta entre as 12h30 e as 19h30, de terça a sábado. Encerra aos domingos e segundas-feiras.