NiTfm live

Decoração

A melhor forma de desinfetar o telemóvel quando chega a casa

Os aparelhos eletrónicos podem acumular 10 vezes mais germes do que uma sanita.
Imagem ilustrativa.

Segundo um estudo realizado em 2017 pela Universidade Arizona, nos Estados Unidos, os telemóveis podem ter até 10 vezes mais germes do que uma tampa de sanita. Visto que passamos várias horas por dia com eles por perto, é super importante, em tempos de Covid-19, fazer a sua desinfeção diária — ou várias vezes por dia.

A Deco sabe-o, por isso decidiu lançar um manual em que explica qual é a melhor forma de desinfetar o smartphone, sem pôr em risco a sua utilização. Segundo a associação, como a limpeza é húmida, tem de desligar o dispositivo antes de limpá-lo.

Para começar deve passar um pano microfibra em todo o telemóvel pois, ao contrário dos lenços de papel, este limpa suavemente o ecrã sem deixa riscos. Pode, por exemplo, usar aqueles específicos para limpar os óculos. 

Quanto ao ecrã, a Deco alerta que não deve usar produtos de limpeza em spray ou aerossol nesta zona: “A maioria dos smartphones é sensível aos líquidos e mesmo os que declaram ter um índice de proteção elevado é para a água e não para outro tipo de líquido”. Mesmo que o seu telemóvel seja IP67 ou IP68, que já permite a imersão em água, “não será boa ideia imergi-lo em líquido antibacteriano ou numa mistura de álcool.”

Para dar a volta a este problema, basta que o ecrã tenha um vidro temperado (também chamado de película). Ele vai permitir que desinfete o aparelho sem estragar. Use toalhetes com 70 por cento de álcool isopropílico ou humedeça levemente uma ponta de um pano microfibra neste líquido.

A seguir, passe-o suavemente pelo aparelho. Tenha em atenção para não limpar dentro dos orifícios das ligações. A Deco alerta que a limpeza só termina quando passar com a parte seca do pano microfibra por todo o smartphone.

A seguir, carregue na galeria e veja também a melhor forma de desinfetar várias zonas da casa.