NiTfm live

Compras

Vá ao armário dele, tire os polos que encontrar e use-os todos os dias

Foram inventados por Jean Rene Lacoste que estava farto de jogar ténis de camisa. Hoje fazem parte do estilo genderless e estão em todo o street style.

Os clássicos estão de volta.

Quando pensamos em gabardines a primeira marca que nos vem à ideia é a Burberry, no caso do tweed, diríamos Chanel, e ambas se converteram em autênticos clássicos, que ainda hoje são tendência.

O mesmo diremos dos polos, aquelas T-shirts ou sweatshirts que a Lacoste, e posteriormente Ralph Lauren, transformaram em ícones. O polo chegou quase ao mesmo tempo que o desporto que lhe dá nome, por volta de 1860, ao Reino Unido. As camisas usadas tinham pequenos botões para prender as lapelas para impedir que voassem quando os jogadores andavam a galope nos cavalos. Mas foi só no final do século XIX que isso se tornou moda com o americano John E Brooks que levou a ideia para os EUA. A partir daí todos os jogadores de ténis, polo e afins, usavam este tipo de camisa, ou polo shirt.

O polo moderno, como o conhecemos hoje, foi criado por, nada mais nada menos, uma lenda do ténis francês: Jean Rene Lacoste. Farto de jogar ténis de camisa branca de manga comprida, desenhou o polo, uma T-shirt em algodão pique, de manga curta, mas que mantinha os colarinhos e alguns botões. 

E se eram, sobretudo, os homens que os vestiam, hoje em dia essa ideia está ultrapassada. A tendência “genderless” continua a agregar cada vez mais e mais adeptos. Protagonistas do street style como Veronika Heilbrunner são adeptas deste tipo de peça, sendo uma das muitas propostas unissexo que inundam o seu guarda-roupa. Mas, não é a única.

Muitas combinam os polos com peças mais femininas, desde saias a calças. Em setembro deste ano, chegaram-nos imagens de street style das semanas de moda primavera/verão 2019, em que os polos de manga curta se misturavam com toda a espécie de outras peças. Já em pleno outono, há quem continue a usá-los com camisolas por baixo, contrastantes ou no mesmo tom.

As amantes do vintage encontraram nesta peça a forma mais confortável de complementar os seus outfits. Até mesmo as apreciadoras de silhuetas tipicamente femininas estão agora a dar uma oportunidade aos polos, quer sejam de manga curta ou comprida. 

São, portanto, inúmeras as marcas mais acessíveis que estão a retroceder no tempo, de forma a recuperar estilos que um dia jurámos não voltar a usar. E como agora é cool usar polos, tomámos a liberdade de sugerir algumas opções. Carregue na galeria para os conhecer.