NiTfm live

Moda

“Não mostre as mamas”: A nova campanha feminista que está a tornar-se viral

Chama-se "Be a Lady" e é protagonizada por Cynthia Nixon, a eterna Miranda de "O Sexo e a Cidade".

“Seja uma senhora, disseram. Não seja muito gorda. Não seja magra de mais. Não seja muito grande. Não seja pequena de mais. Coma. Emagreça. Pare de comer tanto. Não coma muito rápido. Peça uma salada. Não coma hidratos de carbono. Salte a sobremesa.” As frases são assertivas e pertencem à “Be a Lady”, a nova campanha feminista idealizada pela revista americana “Girls. Girls. Girls.”.

Num vídeo com dois minutos e 51 segundos surge Cynthia Nixon, a eterna Miranda de “O Sexo e a Cidade”, a recitar um texto originalmente escrito em dezembro de 2017, por Camille Rainville, no blogue “Writings of a Furious Woman” (“Escritos de uma Mulher Furiosa”, em tradução livre).

O pequeno vídeo, partilhado no YouTube a 24 de fevereiro, e com direção de Paul McLean, está a ser comentado em todo o mundo — na data de publicação deste artigo já tinha mais de 220 mil visualizações. Com a campanha, que surge pouco tempo antes do Dia da Mulher, a 8 de março, a revista quer mostrar as centenas de pressões a que as mulheres estão sujeitas na sociedade.

“A saia é muito curta. A camisa está muito baixa. As calças estão muito apertadas. Não mostre tanta pele. Não mostre as ancas. Não mostre as mamas. Não mostre a barriga. Não mostre o decote. Não mostre a roupa interior. Não mostre os ombros. Tape-se. Deixe algo para a imaginação. Vista-se de forma modesta. Não seja tentadora. Os homens não conseguem controlar-se. Os homens têm necessidades. Parece desajeitada. Solte-se. Mostre a pele. Pareça sexy. Olhe de forma sensual. Não seja tão provocadora. Está a pedi-las. Use preto. Calce saltos. Está muito vestida. Está muito despida. Não use calças de fato de treino. Parece que se deixou levar”, é mais um excerto que pode ser ouvido.

Embora no canal de YouTube os comentários estejam desativados, as pessoas têm expressado a sua opinião através do Instagram oficial da “Girls. Girls. Girls.” A publicação conta com centenas de comentários de mulheres (e homens) que se identificam com muitas das pressões mencionadas.

Esta não é a primeira vez que a revista independente de moda faz uma campanha polémica. Em 2018, escolheu para a capa a atriz canadiana Rachel McAdams, que posou com um casaco Versace, diamantes Bvlgari e uma bomba de leite, apenas seis meses após o parto. 

Recorde-se que nos últimos tempos têm sido várias as campanhas feministas. Uma das últimas foi organizada por Maria Grazia Chiuri, a diretora criativa da Dior, durante o desfile da Semana da Moda de Paris, em França.

Durante o espetáculo, não só surgiram manequins com estilo andrógeno, como foram projetadas várias palavras em luzes néon que apelavam aos direitos iguais para as mulheres. Leia o artigo da NiT sobre o tema.