NiTfm live

Moda

ModaLisboa: o padrão militar foi a maior tendência de street style

Tendo em conta o cenário que acolheu o evento deste ano, não se pode dizer que tenha sido uma surpresa.
Fotografias de David Velez.

As previsões davam chuva e mau tempo para o último dia da ModaLisboa, com máximas a rondarem os 22 graus. Mas foi com céu limpo e calor que as Antigas Oficinas Gerais de Fardamento e Equipamento do Exército receberam os visitantes ao início da tarde de domingo, 13 de outubro — muitos deles com os blusões debaixo do braço ou enrolados à volta da cintura.

Ao longo dos três dias, o staff da ModaLisboa não passou despercebido com os casacos da organização: compridos e de padrão militar. A condizer tinham as fitas das credenciais. 

A percorrer todo o recinto andavam sempre vários militares do exército. As fardas, essas, tinham a mesma estampagem. Apesar do dress code não pedir aos convidados para se vestirem de acordo com esta temática, houve muita gente que apostou em peças com army print.

“Foi uma coincidência. A minha namorada ofereceu-me este casaco. Ela até me andava ‘a dar na cabeça’ porque eu nunca o uso, por isso decidi vesti-lo hoje”, conta Vítor Antunes, de 27 anos, que escolheu um casaco de ganga da G-Star com padrão militar.

Mas houve quem tenha usado o print de propósito, como Helena Caria, 54 anos, que levou umas calças da Mango: “Trouxe-as porque vínhamos às Oficinas. Lembrei-me que era esse o tema e vim com elas”, revela à NiT.

Com o final da tarde a aproximar-se, o vento levantou, o céu ficou coberto e os convidados começaram a agasalhar-se nos intervalos dos desfiles, enquanto passeavam pelo espaço ao ar livre. Marta de Almeida, 19 anos, foi uma delas. Ao passar pela entrada das antigas Oficinas do Exército com um casaco army print da Zara explicou que a peça que escolheu combinava com “o tempo enublado”. 

A seguir, carregue na galeria para conhecer alguns dos looks de padrão militar que passaram pelo último dia da 53.ª edição da ModaLisboa.