NiTfm live

Moda

Baby-dolls: os novos vestidos tendência que precisa na sua vida

A regra para a primavera está lançada: estas propostas querem-se largas e pela altura do joelho.
Carteira gira.

A moda é História. Pode parecer uma frase feita, mas basta ler com atenção alguns dos mais conhecidos livros da área, como o “Império do Efémero“, de Gilles Lipovetsky, ou “The Little of Fashion Dictionary“, de Christiane Dior, para perceber que todas as tendências nasceram a partir de um acontecimento histórico, muitas vezes ligado a épocas de revolução. 

Foi numa dessas alturas, mais precisamente no início do século XX, que as mulheres começaram a usar saias e vestidos arrojados como forma de protesto pela falta de igualdade de géneros, direito de voto e fim dos casamentos arranjados.

A partir daí os vestidos mais ou menos curtos passaram a ser peças obrigatórias nos roupeiros. Alguns deles tornaram-se, recentemente, novos marcos na história da moda. Falamos, por exemplo, daquele modelo que Carrie Bradshaw usou no filme “O Sexo e a Cidade”.

Na primeira cena, a personagem que se tornou conhecida na série da HBO passeia alegremente pelas ruas de Nova Iorque com um maravilhoso e apelativo vestido branco e dourado. O que na altura ninguém sabia é que o emblemático vestido já havia sido usado por Whitney Houston durante um concerto em 1987.

História à parte, o que é certo é que os vestidos são uma peça fundamental em qualquer estação. Todos os anos surge uma nova tendência nas passerelles que rapidamente é copiada para as ruas pelas it girls. Depois de um 2018 dedicado aos vestidos compridos, quase que a tocar no chão, surge uma versão igualmente larga mas muito mais curta, acima da linha imaginária dos joelhos. As mangas destas peças são, normalmente, compridas ou a três quartos.

A seguir, veja na galeria as nossas sugestões de vestidos baby-doll (em linguagem da moda) para a próxima temporada. Conjugue-os com botas texanas os sapatilhas.