NiTfm live

Moda

Com esta app pode escolher os looks como no filme “As Meninas de Beverly Hills”

Com o Re-Closet pode catalogar as suas roupas, fazer um melhor uso delas e evitar compras desnecessárias.
Na discoteca.

Em 1995, Cher Horowitz (interpretada por Alicia Silverstone) apresentou ao mundo o guarda-roupa de sonho das meninas ricas. Todos os dias, antes de ir para a escola, a protagonista de “As Meninas de Beverly Hills” combinava as suas peças de roupa através de um computador para criar o look perfeito. 

Passados 25 anos, e depois de imensos avanços tecnológicos, os fãs do filme também já podem organizar o seu guarda-roupa virtual, escolher o outfit para um dia de trabalho ou conjugar peças antes de fazerem a mala de viagem — tudo isto a utilizaram apenas o telemóvel, através da Re-Closet.

A aplicação nasceu de uma ideia de Maria Clara Abreu, de 35 anos. Apesar dos estudos na área de Gestão e de uma carreira profissional a trabalhar em grandes empresas, a brasileira embarcou neste desafio tecnológico depois de participar na Web Summit 2018, em Lisboa. 

“Durante o evento ficou claro para mim que não existirão mais negócios e empresas que não sejam fortemente voltados para a tecnologia num futuro próximo. Assim, pensei num projeto que unisse a tecnologia, a moda, que é uma paixão pessoal, e algo que fosse de facto útil e necessário no nosso dia a dia”, conta à NiT.

O conceito do Re-Closet é simples: permite que os utilizadores redescubram as peças do próprio guarda-roupa e façam um melhor uso delas. Depois de descarregar a aplicação, o primeiro passo é tirar fotos de cada peça e acessórios que tem, de forma a construir um inventário.

Assim, se de manhã perde muito tempo a escolher um look para uma reunião ou costuma atrasar-se para um encontro porque não consegue decidir o outfit perfeito, pode fazer isto com antecedência, seja à noite antes de dormir ou na fila do supermercado, através do telemóvel.

“Sugiro que os utilizadores comecem a catalogar as suas peças pelas categorias que mais necessitam. Por exemplo, se o maior problema da rotina é vestir-se para o trabalho, comece por catalogar este estilo de roupa. Se se demora a escolher os looks de festas e jantares, comece pelas suas peças de noite. Outra dica é juntar as propostas por estações do ano. Nesta altura, por exemplo, registe as roupas de inverno e deixe as de verão para quando o tempo aquecer”, explica Maria Clara Abreu.

A aplicação tem secções como: catálogo, o seu closet, crie o seu look, galeria de looks, faça a sua mala e viagens. O Re-Closet permite separar as peças por categorias (trabalho, escola, casual, noite, festa, praia, desportos e roupa interior), estações do ano, modelo (estampado e liso), cores ou descrever o item livremente.

Se à primeira vista a app pode parecer mais dedicada aos apaixonados por moda, Maria Clara chama a atenção para o lado sustentável do Re-Closet, pois ao conhecer as peças que tem pode evitar as compras desnecessárias.

“Muitas vezes compramos artigos novos porque nem lembramos do que já temos. Esta semana fui a uma loja que estava em saldos e quis comprar várias peças. Antes de levá-las para casa, abri a minha app e filtrei as propostas que se pareciam com as que queria comprar. Percebi que não precisava de comprar nem 80 por cento do que tinha escolhido. Ao fazer este exercício, passamos a consumir de forma mais consciente, o que é também um objetivo do Re-Closet”, diz a brasileira.

Foram precisos quatro meses de pesquisa para desenvolver sozinha o conceito e o design do Re-Closet e mais nove meses para o desenvolvimento e a programação do software por uma empresa. Neste momento, a app está disponível para iOS, na Apple Store, por um valor de 3,49€.

O próximo passo é disponibilizá-la também para o sistema Android e, num futuro mais distante, permitir que as pessoas criem os próprios robots e possam testar os looks como se estivessem a vestir as peças.

A seguir, carregue na galeria para conhecer a app Re-Closet.