Lojas e mercados

Tudo o que há para saber sobre o iPhone X, o “futuro dos smartphones”

A Apple apresentou várias novidades, incluindo outros telemóveis.

A expetativa era grande e não é difícil perceber porquê. Dez anos depois do lançamento do primeiro iPhone, foi apresentado uma versão premium — o iPhone X, que se lê iPhone Ten (dez) — esta terça-feira, 12 de setembro, na primeira conferência no Steve Jobs Theater, um novo anfiteatro na sede da Apple na Califórnia, nos EUA.

O novo telemóvel tem um ecrã tátil OLED, de 5,8 polegadas, que ocupa quase toda a zona frontal, e, pela primeira vez, não tem o clássico botão principal na frente do aparelho. Assim, em vez de usarmos o botão para desbloquearmos o telemóvel — ou o leitor de impressão digital — vai haver um sistema de reconhecimento facial (Face ID).

Sempre que olhar para o seu telemóvel, ele vai reconhecê-lo e desbloquear-se, mesmo que esteja escuro, estiver com óculos, mudar o penteado ou deixar crescer a barba. Pode usar este sistema de reconhecimento para processos de autenticação e compras online. O CEO da Apple, Tim Cook, chama-lhe “o futuro dos smartphones”.

O botão de lado, que servia para ligar e desligar o telemóvel, vai ser usado para falar com a Siri. Gosta de usar emojis nas conversas com os amigos? A Apple apresentou os animojis — emojis personalizados que vai conseguir criar com a própria cara, ou seja, figuras como um unicórnio ou um cão que vão seguir os movimentos da cara do utilizador. A câmara para fotografias e vídeos também vai ser a melhor de sempre, claro: com 12 megapixels e sensores mais rápidos, além de ter estabilização de imagem.

O iPhone também poderá ser carregado sem fios, numa plataforma chamada AirPower (que chega às lojas em 2018), e que vai carregar todos os aparelhos da Apple desde que os pouse por cima — outras marcas já tinham dispositivos semelhantes. A bateria vai durar mais duas horas do que a do iPhone 7. Pode ser encomendado a partir de 27 de outubro e comprado a partir de 3 de novembro. Vai custar pelo menos 1179€ e há versões de 64 e 256 gigas.

Além disso, foram apresentados o iPhone 8 e o iPhone 8 Plus — que vêm na mesma linha dos últimos iPhones. São mais rápidos, têm uma câmara melhor (12 megapixels), com uma funcionalidade de personalizar a luz para tirar retratos, por exemplo. Também foi otimizado para ser usado em aplicações de realidade aumentada — como videojogos — e têm capacidade para ter mais volume. Além disso, vão poder ser carregados sem fios.

Vão poder ser comprados em prata, “space grey” e em dourado. Os novos iPhone 8 têm 64 e 256 gigas, vão custar 699 e 799 dólares. Encomendas a 15 de setembro, à venda dia 22.

Também houve mudanças no Apple Watch. A terceira versão do super relógio da Apple e o seu novo sistema operativo, o watchOS4, que será disponibilizado a 19 de setembro, vai alertar o utilizador se tiver um ritmo cardíaco acelerado ou irregular. Mais do que isso, vai poder usar o relógio para fazer chamadas — esteja a fazer surf na Praia do Guincho, já que é à prova de água, ou a fazer escalada no Gerês.

Pode ainda mandar mensagens, ouvir os 40 milhões de temas disponíveis na Apple Music ou pedir ajuda à Siri. O mais barato vai custar 399 dólares nos EUA e as encomendas vão estar disponíveis a partir de 15 de setembro. Mas não significa que chegue já a Portugal.

Já a nova Apple TV vai ser 4K e HDR, como se esperava. Também vai estar em pré-venda a 15 de setembro e à venda no dia 22.

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo