NiTfm live

Lojas e marcas

O vestido mais viral da Oysho está de volta (até pode usá-lo para um casamento)

A proposta verde esmeralda da cadeia espanhola está disponível nas lojas físicas, mas também online.
É muito bonito.

Em 1863, a Imperatriz Eugénie de França usou um vestido para assistir à Ópera de Paris que ocupou as manchetes dos jornais na manhã seguinte. O que chamou a atenção dos jornalistas — e de todos aqueles que a viram nessa noite — foi o tom verde esmeralda da peça, tão pouco comum para a época.

Durante vários anos as mulheres foram desaconselhadas a usar essa cor, que era apenas conseguida através de pigmentos venenosos. O verde esmeralda era tóxico e até mesmo considerado letal, desenvolvido ao misturar cobre com trióxido de arsénio, uma substância altamente perigosa e química, que pode tornar-se fatal simplesmente ao entrar em contacto com a pele.

A Imperatriz Eugénie.

Inventado no final do século XVIII, o pigmento de verde esmeralda foi proibido na moda durante mais de 80 anos, depois de acessórios ou peças de roupa nesse tom causarem várias mortes. A alternativa segura, a que se chamou “nouveau vert”, só surgiu em 1859, mas poucos tiveram coragem de a usar até à fatídica noite em que a Imperatriz Eugénie pôs a Europa inteira a falar.

Hoje, este tom está completamente democratizado no mundo da moda, mas ainda há uma certa superstição mítica associada a ele. Há até quem diga que as costureiras não gostam de verde por terem medo que traga “má sorte”.

Se não é uma dessas pessoas, vai gostar desta notícia. O vestido viral da Oysho está de volta às lojas, mesmo a tempo da Primavera. Esta peça em verde esmeralda tem um corte midi, laço à cintura, decote em “V” e mangas largas.

Pode usá-lo no próximo casamento.

Custa 35,99€ e está à venda nas lojas físicas da Oysho, mas também online.

De seguida, carregue na galeria para conhecer outros vestidos com que pode brilhar nos casamentos das amigas este ano.