NiTfm live

Lojas e marcas

Sanjo: a histórica marca nacional voltou a produzir sapatilhas em Portugal

Depois de alguns anos a ser produzido na China, o calçado voltou para as fábricas portuguesas.
A nova campanha.

É preciso recuar no tempo até 1933 para contar a história da Sanjo, a primeira marca de sapatilhas portuguesa. Criada na Companhia Industrial de Chapelaria, recebeu este nome em homenagem à cidade onde nasceu: São João da Madeira. 

Fabricado totalmente em Portugal, o calçado tornou-se um sucesso de vendas. Nas décadas de 40 e 50, poucos eram os portugueses que não tinham, pelo menos, um par destas sapatilhas feitas de lona e com solas de borracha. 

Nos anos 80, com o nascimento de outras empresas desportivas internacionais, a Sanjo entrou em crise. A Companhia Industrial de Chapelaria fechou e a marca entrou em insolvência, tendo sido comprada em hasta pública em 1997. 

A partir daí e até 2018, a Sanjo mudou a sua produção para a China. Foi novamente comprada em janeiro de 2019, desta vez por um grupo empresarial de Braga, o M2BEWEAR. “Estivemos até agora a estudar o mercado. Queríamos trazer de volta esta marca e direcioná-la para um mercado mais moderno para não ser só ‘o calçado dos pais'”, conta à NiT Elisabete Magalhães, designer e assessora de comunicação da marca.

No entanto, este não era o único objetivo. “A Sanjo é uma espécie de ícone português, por isso tínhamos de voltar a produzir cá a marca. Faz todo o sentido”, explica. Para isso, a empresa foi bater à porta de várias fábricas e escolheu a Aboutoday, em Felgueiras.

É lá que são feitos todos os molde das novas sapatilhas que estão à venda desde 23 de setembro. “Lançámos a loja online com uma coleção que junta os clássicos K100 e K200 com novos modelos adaptados aos dias de hoje”, diz Elisabete.

Por enquanto ainda não existem lojas físicas a vender as novas sapatilhas. “Já temos parceiros físicos fechados que vão ser divulgados nas próximas semanas. Até lá, se encontrar calçado à venda pode ainda pertencer à antiga administração da marca.”

E a aceitação das pessoas a esta nova fase da Sanjo, como tem sido? Elisabete sabe que a M2BEWEAR tem um longo caminho para percorrer. “Existe muita gente que só tem a experiência anterior, quando era tudo produzido na China. É normal passarmos agora por uma fase de adaptação. Demora o seu tempo, mas a Sanjo está com um acréscimo de qualidade muito grande e já há quem nos escreva de volta a dizer que as sapatilhas estão muito melhores”, explica.

A seguir, carregue na galeria para conhecer a nova coleção desta icónica marca portuguesa.