Lojas e marcas

The Pitch Market: o mercado de design está de volta — com o dobro das marcas portuguesas

Em 2016, participaram 23 pop ups portuguesas. Este ano são 50. A NiT falou com Tiago Miranda, o organizador.

É melhor preparar a carteira.

Tiago Miranda, 42 anos, é um fã incondicional de mercados de rua. Foi depois de passear por muitos deles que o organizador de eventos (e arquiteto de formação) percebeu que existia uma lacuna no mercado. “As marcas portuguesas de design de equipamentos não estavam bem representadas. O nível de consumo era (e ainda é) muito baixo. As pessoas têm muito o chip de ir comprar fora. Quando fazem compras em Portugal são coisas muito mais pensadas. Não é tão frequente como ir a um restaurante, por exemplo”, diz à NiT.

Este foi o ponto de partida para Tiago Miranda criar o The Pitch Market, um mercado urbano de design que acontece desde 2015 no Terreiro do Paço, em Lisboa. “Este ano vai ser a segunda edição. Em 2015, tivemos aquilo a que dei o nome de edição 0. Foi um evento teste para aprender”, conta.

O organizador de eventos diz que aprendeu muito. Tanto que em 2016 voltou a repetir a iniciativa com 23 marcas nacionais. “É um mercado de rua, não tenho qualquer problema com isso, mas um mercado de rua com pop ups. Cada marca [todas elas portuguesas] tem o seu contentor com chão, teto e paredes. A ideia é que o cliente entre e se sinta mesmo dentro de uma loja”.

Depois do feedback positivo que recebeu — “as marcas, inclusive, disseram todas que aumentaram o volume de vendas depois do evento” —, Tiago decidiu ampliar o número de pop ups para a edição de 2017. 

Ao todo são 50 marcas que vêm de norte a sul do País, “desde Viana do Castelo até Loulé”. Todas elas vão instalar-se entre 21 e 24 de setembro no Terreiro do Paço. O objetivo? Venderem artigos de design de equipamento e decoração nacional para a casa.

“Durante os quatro dias o Terreiro do Paço vai parecer um centro comercial a céu aberto mesmo virado para o rio”. As pessoas podem comprar peças de marcas como o Atelier do Burel, Lisbão, Eco Solutions, Saloia com Pinta, Anna Westerlund, Triipi, Trinta por uma Linha, So-So Store e Um Barra Um.

O design português é, muitas vezes, associado a preços altos. No The Pitch Market, Tiago Miranda quer desmistificar essa ideia. “Existem artigos a partir de 3€. É certo que há coisas a 5.000€, mas são peças únicas e muito específicas”, conta à NiT.

Embora o grande foco no mercado urbano sejam as pop ups portuguesas, o evento vai ter várias atividades paralelas. “Vai estar patente uma exposição da Vista Alegre e vários artistas vão pintar ao vivo”. 

Além disso, no sábado, 23 de setembro, há um workshop de introdução ao macramé, a partir dar 11 horas. Para participar tem de pagar 50€ pelo material. O The Pitch Market vai estar aberto nos quatro dias entre as 11 e as 21 horas. A entrada é gratuita.