NiTfm live

Lojas e marcas

Marcas não respeitaram a lei dos saldos e das promoções durante a Black Friday

A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor denunciou várias irregularidades à ASAE.
Atenção, atenção.

Na passada sexta-feira, 29 de novembro, chegou o tão aguardado momento do mês: a Black Friday. Muita gente aproveita aquelas 24 horas para comprar produtos mais baratos, desde roupa e calçado a eletrodomésticos e viagens. Porém, nem todas as marcas terão respeitado a lei dos saldos e das promoções.

“O vendedor não exibia o novo preço e o preço anteriormente praticado ou, em alternativa, a percentagem da redução”, dá como exemplo a DECO — Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor.

Outra das irregularidades detetadas foi a não redução real do preço, já que “o produto esteve 60 dos últimos 90 dias com um preço abaixo do preço normal”, isto é, daquele que “deve funcionar como referência para o conceito de preço mais baixo anteriormente praticado”.

De acordo com a mesma associação, desde 13 de outubro que um comerciante só pode fazer saldos e promoções se praticar um desconto sobre o preço mais baixo a que o artigo foi vendido nos 90 dias anteriores, na mesma loja, e sem contar com eventuais períodos de saldo ou promoção.

Por isso mesmo, a DECO anunciou no dia 2 de dezembro que denunciou à ASAE — Autoridade de Segurança Alimentar e Económica as várias irregularidades e violações à lei. Pode consultar no site da associação alguns dos produtos em causa.