NiTfm live

Lojas e marcas

Grupo da Zara acusado de explorar os funcionários em Portugal

A denúncia contra o Grupo Inditex foi feita pelo Sindicato dos Trabalhadores do Comércio.
A Zara é a marca mais importante do grupo Inditex.

Esta segunda-feira, 18 de fevereiro, os representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços foram até à loja da Zara na rua de Santa Catarina, no Porto, para denunciarem pessoalmente a alegada exploração feita pelo Grupo Inditex aos seus funcionários.

Segundo a dirigente sindical Cristina Monteiro, em declarações à “Lusa” citadas pelo jornal “Diário de Notícias”, existe “assédio, pressão e repressão exercida sobre os trabalhadores das várias insígnias do grupo”.

A sindicalista foi mais longe. “Existem horários de trabalho desregulados e trocas constantes sem aviso prévio aos trabalhadores, que nunca sabem com a devida antecedência o horário e dias de folga”.

Cristina Monteiro explicou ainda que os horários são afixados de véspera e que é imposto, ilegalmente, que os trabalhadores marquem férias no período do inverno. “É exigido aos trabalhadores que entrem 15 minutos mais cedo para poderem usufruir da pausa que já é sua por direito”.

Para melhorar as condições do trabalhadores, o Sindicato exige a negociação do contrato coletivo de trabalho, que não é revisto há mais de dois anos. 

Durante a reivindicação, a sindicalista falou ainda da “clara objetificação da mulher por parte da empresa, para promover a venda dos seus produtos”. Referia-se, portanto, ao uso obrigatório do batom vermelho, tal como a NiT revelou numa reportagem publicada a 30 de janeiro.

Até à hora de publicação deste artigo, o Grupo Inditex ainda não se pronunciou oficialmente sobre estas acusações.

O Grupo espanhol foi criado em 1985 por Amancio Ortega. Inclui, neste momento, 10 marcas com lojas em Portugal: Zara; Zara Home; Zara Kids; Pull&Bear; Bershka; Massimo Dutti; Oysho; Lefties; Stradivarius; e Uterqüe.