NiTfm live

Lojas e marcas

Estas sapatilhas eco-friendly são feitas de bambu, cana de açúcar e cortiça

O calçado da marca brasileira Cariuma é neutro em carbono e é fabricado principalmente a partir de plantas.
É fabricado principalmente a partir de plantas.

A marca brasileira Cariuma diminui a pegada ecológica das sapatilhas substituindo as matérias-primas tradicionais por bambu, cana de açúcar e cortiça. Para torná-lo totalmente ecofriendly, a empresa ainda compensa o carbono emitido na produção. Apesar do design simples e das cores vibrantes, a Cariuma acaba de fazer uma parceira com o artista brasileiro Tomaz Viana para criar novas sapatilhas que representam a arte de rua do Brasil.

A obsessão pelos detalhes e a mente consciente por trás da marca fizeram nascer uma empresa comprometida com o meio ambiente e fabrico artesanal. As sapatilhas são feitas com algodão de comércio justo como forma de garantir que os agricultores tenham melhores condições de trabalho e recebam remuneração adequada.

A borracha é originária da árvore Hevea Brasiliensis. A seiva leitosa é colhida de forma segura através de uma técnica que não danifica o tronco das árvores.

Já o couro é proveniente de três países diferentes: Brasil, Argentina e Tailândia. Aqui, a preocupação é não comprar couro vindo de uma área que tenha sido desflorestada para a pecuária. Para tornar-se fornecedor da marca, é preciso provar que 100 por cento da água usada no processo de produção do couro seja reutilizada ou tratada.

O modelo de destaque da Cariuma é o Ibi. Confecionado com malha de bambu e plásticos reciclados do calcanhar aos dedos dos pés, o sapato é super leve. A empresa desenvolveu um método para trabalhar com o bambu sem que seja necessária a adição de produtos químicos tóxicos. Primeiro o bambu é transformado em carvão em pó e misturado ao pó do plástico reciclado. Só depois é confecionado um fio com a matéria-prima para ser usado na produção das sapatilhas.

As solas são feitas com um polímero verde derivado de cana de açúcar e os atacadores com fios de garrafas plásticas recicladas. Para dar ainda mais conforto, as sapatilhas possuem palmilhas confecionadas com espuma, cortiça e óleo de mamona, que guardam na memória o formato dos pés.

“Dois terços das emissões de carbono no processo tradicional de calçados vêm da produção. Portanto, se não pensar sobre isso no processo de design enquanto estiver desenvolvendo o produto, não poderá corrigi-lo mais tarde”, explica Fernando Porto, co-fundador e diretor criativo da Cariuma, numa entrevista ao site “Fast Company“. 

Quaisquer emissões de carbono restantes, incluindo as de envio do produto para os clientes, são compensadas através de projetos que incluem a proteção de parte da Floresta Amazónica, por exemplo.

Como grande parte do impacto ambiental da mundo da moda deve-se ao facto de as roupas e acessórios serem descartados depois que as tendências da temporada passam, a empresa decidiu fabricar sapatos mais duradouros e com uma estética mais clássica.

Há cinco modelos diferentes para homem e mulher disponíveis no site da marca e os preços variam entre 71,50€ e 179€. Carregue na galeria para conhecer algumas das sapatilhas da Cariuma.