NiTfm live

Lojas e marcas

É ilegal, mas esta loja de roupa abre por marcação para “felicidade de todos”

A Peuguinhas, no Pinhal Novo, avisou no Facebook que estava a receber clientes, apesar da obrigatoriedade de encerramento ao público imposta pelo decreto do estado de emergência.
A loja vende roupa de criança.

Desde o dia 18 de março que Portugal está em estado de emergência. Isto significa que estão em vigor várias medidas como forma de contenção da pandemia do novo coronavírus. Entre elas, e como é do conhecimento de todos, os portugueses foram aconselhados a praticar o isolamento social e a quarentena, sempre que possível.

Todos os estabelecimentos comerciais considerados não essenciais e de atendimento ao público devem manter-se encerrados ao público durante este período. Entre estes estabelecimentos estão, por exemplo, as lojas de roupa, cabeleireiros. A exceção é feita para os restaurantes, que podem usar apenas o serviço de take-away.

No entanto, parece que nem todos cumprem as regras. É o caso da loja de roupa para bebés e crianças O Peuguinhas. A proprietária desta loja do Pinhal Novo, fez um comunicado na sua página de Facebook a avisar que ia abrir, à porta fechada e mediante marcação, durante esta tarde de quarta-feira, 1 de abril.

“A Páscoa aproxima-se! A pedido de vários clientes, vou estar na loja à tarde c/porta fechada por imposição da Covid-19 para atender mediante marcação (…). O Peuguinhas quer contribuir para a felicidade de todos. Como tal estamos ao vosso dispor para realizar os vossos desejos (mães, avós e madrinhas). Disponibilizamos também a possibilidade de encomendar através do Face e entregas ao domicílio. Pagamento dinheiro, M. Banco. Ou MB way”, lê-se na publicação publicada ao final desta manhã.

As respostas não se fizeram tardar e há já um comentário de repressão por parte de uma seguidora da página: “Que falta de respeito, pela saúde pública se todos fizéssemos isso era uma desgraça, pensam que enriquecem com essa atitude. Tenham juízo fiquem em casa.”

É precisamente este período da Páscoa que se avizinha que levanta mais preocupações devido à pandemia. O primeiro-ministro alerta até: o governo vai “apertar um bocadinho” e clarificar as regras de circulação, sobretudo neste período, até porque abril vai ser um mês “perigosíssimo” em termos de propagação da Covid-19.

António Costa anunciou esse passo do governo no “Programa da Cristina”, de Cristina Ferreira na SIC, depois de questionado sobre em que moldes se iria prolongar por mais 15 dias o estado de emergência em Portugal.

Citado pela Lusa, explicou: “vamos adotar medidas mais claras para que as pessoas percebam que no período da Páscoa não podem mesmo andar a circular e devem ficar na sua residência permanente. Acho que vamos ter de apertar um bocadinho, dando um sinal mais claro de que não é mesmo época para andarmos de um lado para o outro”, declarou o primeiro-ministro.