NiTfm live

Lojas e marcas

A Internet vai abaixo: aqui está o novo e belíssimo Galaxy S, da Samsung

O mais recente smartphone da marca sul-coreana tem três câmaras traseiras e um leitor de impressões digitais no ecrã.
Está preparado para isto?

Quando, em 2010, a Samsung lançou o primeiro Galaxy S, o entusiasmo nas redes sociais foi tal que os servidores de Internet foram abaixo. Era o primeiro telemóvel da marca sul-coreana com um sistema operativo Android e com uma câmara traseira de cinco megapixels e uma câmara frontal de 0,3. Foi a partir desse momento que a gama Galaxy S começou a liderar uma verdadeira revolução no mercado da tecnologia dos smartphones. E fê-lo tão bem que já chegou ao mercado o novo Galaxy S10

O gadget mais falado do ano foi lançado no dia 20 de fevereiro em São Francisco, nos Estados Unidos, e marca o 50.º aniversário da Samsung Electronics. O novo smartphone tem o melhor ecrã de sempre da Samsung — o Dynamic AMOLED. Além disso, tem um sensor de impressões digitais no próprio ecrã e wireless powershare, que permite o carregamento de dispositivo para dispositivo sem ter de utilizar um carregador.

Outra das grandes novidades do Galaxy S10 é a tecnologia e inteligência avançada da câmara fotográfica. O telemóvel está equipado com três lentes, duas de 12 megapixels e uma de 16. A Ultra Grande Angular tem uma visualização de campo de 123º — capaz de captar uma imagem tal qual o olho humano. As três lentes juntas produzem uma fotografia mais luminosa, nítida e fiel à realidade. 

A Samsung lançou ainda os modelos Galaxy S10+ e Galaxy S10e, com características e preços diferentes. O Galaxy S10+ tem um ecrã de 6,4 polegadas e realizou um upgrade em todas as funcionalidades do modelo anterior. O único modelo com uma câmara frontal dupla é também o modelo mais caro da nova gama. Os preços do Galaxy S10+ começam nos 1029,90€, com 128 gigabytes, e vão até aos 1639,90€ para a versão de um terabyte.

Por sua vez, o Galaxy S10e é o modelo mais simples. Por isso, tem um ecrã reto e menor (5,8 polegadas), duas câmaras traseiras e uma frontal e o preço mais barato da gama — 779,90€. Os três dispositivos estão disponíveis nas cores Branco Prisma, Preto Prisma, Verde Prisma. O S10e tem ainda uma versão em Amarelo Néon. O Galaxy S10+ está também disponível nas versões de 512 gigabytes e de um terabyte nas cores Branco Cerâmico e Preto Cerâmico.

Todos os equipamentos estão à venda nas lojas portuguesas desde 8 de março. 

Uma história que começou em 2010

Depois do Galaxy S, com um ecrã Super AMOLED, ser lançado em 2010, apareceu a segunda geração do Galaxy um ano depois, elevando a qualidade das críticas da gama S. O Galaxy SII tinha um processador Dual-Core, 16 gigabytes de memória interna e uma câmara de oito megapixels com flash LED. O Galaxy SIII surgiu no ano seguinte e foi considerado um dos melhores smartphones do mercado naquela altura. Uma das grandes alterações foi a apresentação do mais recente processador Quad-Core.

 

Do Galaxy SIII para o Galaxy S4, as diferenças voltaram a ser significantes. O telemóvel tinha um FHD Display, passou para um processador Octa-Core e surpreendeu toda a gente com as suas capacidades fotográficas — a câmara tinha 13 megapixels e 12 modos de fotografia. Por outro lado, o modelo seguinte — Galaxy S5 — inovou com o sistema Samsung Health, uma aplicação que permite controlar toda a atividade física do nosso dia a dia, e com a capacidade de resistência a água e poeiras.

Em 2015, foi lançado o Galaxy S6, que melhorou o design desta gama da Samsung. Além disso, o Dual Edge Display melhorou bastante a qualidade do telemóvel. Um ano depois, o Galaxy S7 voltou a mudar tudo. A câmara, com tecnologia Dual Pixel, o ecrã, a bateria e os acabamentos transformaram o telemóvel num dos gadgets mais populares de sempre.

Seguiu-se o Galaxy S8, o primeiro telemóvel do mercado com um ecrã infinito. Além disso, tinha o sistema de reconhecimento facial e a impressão digital na parte traseira do telefone. O Galaxy S9 apareceu em 2018, com duas câmaras de 12 megapixels — a Dupla Abertura adaptava-se à luz tal como o olho humano, capturando a imagem real na perfeição.

Este artigo foi escrito em parceria com a Samsung.