NiTfm live

viagens

Viajar sozinho é a nova moda e já há ofertas e pacotes mais baratos

Várias agências e até revistas de turismo estão unidas numa causa: baixar os custos para os viajantes a solo, que é a grande tendência do ano.

Uma experiência única.

É a tendência do ano no setor das viagens. Numa altura em que as low costs e os alojamentos locais tornaram todo o mundo ainda mais acessível, em que o estado de espírito das gerações mais novas é conhecer, viajar, explorar, sair dos caminhos pré definidos e em que já não se espera por um amigo, namorado ou família para correr o planeta, viajar sozinho é normal.

São cada vez mais os viajantes a solo; cada vez mais os bloguers e pessoas de todo o mundo que até fazem disso vida; cada vez mais comunidades online sobre o tema e maior o fascínio de quem lê e segue; e cada vez mais os cidadãos comuns que se decidem a fazê-lo — a NiT contou-lhe uma história, há bem pouco tempo e de uma portuguesa.

E até há especialistas a confirmar que pode ser uma experiência de auto-descoberta, e que se devia fazer pelo menos uma vez na vida.

Agora, é o próprio setor das viagens que se rende à tendência e que começa a lançar campanhas específicas de apoio aos viajantes a solo, com pacotes de custos reduzidos.

Isto porque um dos grandes entraves das viagens a solo eram os custos: basta fazer o exercício de marcar um quarto de hotel em qualquer parte do mundo, ou até um pacote, e normalmente paga mais a solo do que pagaria cada pessoa, num pacote ou quarto duplo.

Por isso a Travelzoo, uma agência mundial, lançou a campanha #SoloSeptember, para reduzir custos para viajantes individuais.

As mulheres também o fazem cada vez mais.

A iniciativa tem como base uma pesquisa realizada com 1200 pessoas do Reino Unido, que revelou que muitos viajantes se sentem penalizados quando viajam sozinhos. 

O mesmo estudo disse que, mesmo assim, mais de três quartos dos britânicos viajaram sozinhos ou estão a pensar fazê-lo, enquanto 60% dos que viajam sozinhos estavam num relacionamento ou eram casados quando foram— comprovando que as viagens individuais já não são uma atividade de nicho, ou para solteiros. 

O objetivo é assim ajudar a tornar as viagens individuais mais acessíveis, sobretudo eliminando as taxas de uma pessoa só, que costumam existir. Várias marcas, agências e revistas de viagem estão-se a juntar à iniciativa, que para já elegeu setembro como o mês das viagens a solo — mas com os responsáveis a garantir que este é só o começo.

Quanto às promoções #soloseptember, encontra (e ainda vai a tempo de reservar, se quiser), pacotes como nove dias pelo Egito, com alojamentos e algumas refeições, acompanhado por um guia, a 895€,  ou um tour semelhante pela Índia, também com guia e alojamento, a partir de 761€. Tem ainda férias como em Corfu, Grécia, ou Lago Como, Itália, mais baratas mas com partidas de Londres — o que ainda assim, pode compensar.