Viagens

Viajar de avião nos EUA pode ficar mais caro — e a culpa é de Donald Trump

O presidente norte-americano quer aumentar os preços de várias taxas aéreas. Infelizmente, isto pode refletir-se no valor dos bilhetes.

Começa com a segurança do aeroporto. Na lista de propostas que a administração de Donald Trump quer ver aprovada, os passageiros podem passar a pagar mais com o aumento da taxa de segurança introduzida após o 11 de setembro. Atualmente, ela está fixada nos 5,20€ por voo de ida ou volta (em 2014, eram apenas 2,30€). A subida deve ser mais modesta, mas vai verificar-se — a imprensa norte-americana fala de mais um dólar (0,93€) por bilhete.

Esta é apenas uma das várias taxas que a administração de Donald Trump quer impôr. Na proposta para o orçamento do ano fiscal de 2018, divulgada esta quinta-feira, 16 de março, há várias medidas que podem influenciar o preço das viagens. Já falámos da taxa de segurança pós-11 de setembro, o mesmo acontece com as operações de segurança dos aeroportos. O governo norte-americano quer que os viajantes passem a pagar 75% dos custos das operações da Administração para a Segurança dos Transportes. Se for para a frente, a medida entra em vigor a 1 de outubro deste ano e representa uma subida de 35%.

E vai ser pagar mais por menos. A Casa Branca já tinha anunciado que pretendia reduzir em aproximadamente 466 milhões de euros o orçamento anual da entidade que gere a segurança das viagens para e nos EUA.

A administração de Donald Trump também quer aumentar as taxas impostas aos passageiros, que vai diretamente para os aeroportos. O preço está fixado atualmente nos 4,20€ por segmento (ou seja, descolagem e aterragem por cada voo). Isto significa que, se mudar de planos, também vai pagar pelo aeroporto de conexão. Mas o valor está limitado nos 8,40€ (ida ou volta) e 16,80€ (ida e volta), o que garante que os passageiros não têm de pagar um balúrdio se tiverem de fazer várias paragens.

De acordo com o projeto de lei pendente no Congresso, os aeroportos são livres de subir ainda mais o preço das taxas. E até onde é que podem ir? Ninguém sabe, porque a proposta da administração de Donald Trump não impôs um limite. Obama tentou fixar a taxa nos 7,50€ por segmento, mas a medida morreu no Congresso.

Agora ninguém sabe exatamente o que vai acontecer — apenas que os aeroportos são a favor de todas as taxas e mais algumas, enquanto que as companhias aéreas estão exatamente na posição contrária. Faz sentido que assim seja: as empresas de aviação são obrigadas a especificar aos passageiros todas as taxas que vão cobrar, o que não é propriamente atrativo para os clientes.

Neste momento, as taxas estão bastante baixas em comparação com os últimos anos. O preço médio de um voo doméstico nos EUA fixava-se nos 320€ no terceiro trimestre de 2016, um valor 9% mais baixo em relação a igual período no ano anterior. 

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo