NiTfm live

Viagens

Porque é que viajar para a Antártida é tão caro

Alguns dos cruzeiros mais dispendiosos do mundo passam por este continente. Porquê? Contamos-lhe tudo.

A Antártida não é um destino popular na maioria das bucket list dos viajantes. Verdade seja dita, a maior parte das pessoas nem se lembra dele na altura de contar os continentes. Mas a Antártida existe, é incrivelmente bela e tem muito mais para saber além do impacto do aquecimento global.

Fazer um cruzeiro pelo continente gélido é uma experiência única. Mas também se pode tornar altamente dispendiosa. “São os cruzeiros mais caros do mundo”, explica Jim Taylor, presidente da agência de viagens Polar Cruises, à “Travel + Leisure”. A empresa especializada em viagens pelo Ártico e Antártida tem expedições ao continente com preços a partir dos 9 mil euros. Pois, não é mesmo para toda a gente.

 

Mas então porque é que viajar para a Antártida é tão caro? Há quatro razões para isso acontecer. Jim Taylor explica.

Os cruzeiros

A maioria das embarcações tem de ter cascos reforçados para conseguirem atravessar os mares difíceis e gélidos da Antártida. Para que a viagem decorra em segurança, apenas um número limitado de cruzeiros pode atravessar a região.

Combustível

As embarcações apropriadas para atravessar a Antártida usam mais combustível, que geralmente custa mais nos portos mais a sul da América do Sul. E porque o continente não tem portos para os cruzeiros se abastecerem, têm de levar tudo a bordo. Quanto mais peso mais combustível gastam, logo mais dinheiro se perde.

Manutenção

Devido às águas difíceis da Passagem de Drake, estes cruzeiros sofrem um enorme desgaste. Inevitavelmente, as empresas que executam este tipo de viagens têm de gastar mais dinheiro em manutenção.

Tripulação

A Associação Internacional de Operadoras Turísticos na Antártida exige a presença de pelo menos um guia por cada 20 passageiros em terra, e a tripulação das expedições tende a ter elevadas qualificações literárias — muitos deles têm doutoramentos.