NiTfm live

viagens

Há vários casos de enjoos e vómitos nos novos aviões da TAP

Tripulantes e passageiros têm reportado sintomas depois de voarem nos Airbus A330neo. A TAP foi a companhia que os estreou.
A companhia estreou os aviões.

Algo de invulgar se passa com os novos aviões da TAP. Embora a companhia garanta segurança total e o acompanhamento da situação, há relatos separados, de passageiros e tripulantes, sobre enjoos, vómitos e mal-estar depois das viagens de longo curso nos novíssimos Airbus A330neo. A TAP foi a empresa que os estreou mundialmente.

Segundo adianta a TSF esta terça-feira, 25 de junho, um dos últimos episódios aconteceu na passada semana depois de um voo para o Brasil, quando passageiros e tripulação se sentiram mal. Um viajante contou que os pilotos aterraram mesmo com as máscaras de oxigénio colocadas.

A rádio refere que todos os casos relatados nos últimos meses aconteceram nestes A330neo e que os episódios são considerados por três fontes como anormais. 

Segundo a TSF, o caso já foi reportado à Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), que confirmou estar a trabalhar com a transportadora aérea portuguesa para perceber a origem dos problemas. O sindicato dos trabalhadores também está a acompanhar a situação e já terá tido uma reunião com a Airbus, em França, a convite da TAP, mas não terá vindo “totalmente descansado”.

O problema pode ter a ver com uma renovação insuficiente do ar dentro do avião, dada a forma como é feita a passagem do ar captado pelo motor para dentro da aeronave.

Na resposta enviada à TSF, a TAP garante, no entanto, que o “A330neo é um avião com todas as certificações”, com “total segurança” e com as “cabinas fabricadas de forma a prevenir qualquer tipo de contaminação do ar”.

Sem confirmar ou desmentir os casos, a empresa referiu ainda que podem ser “detetados alguns odores provenientes do equipamento de ar condicionado”, afirmando que este “é um facto considerado normal em aeronaves novas e que desaparece logo após as primeiras utilizações”.

“Todas as análises feitas pela Airbus com o apoio de laboratórios independentes indicam que os parâmetros de qualidade do ar estão dentro do normal na indústria”, garantiu a TAP.