Viagens

Santorini avança com plano para limitar chegada de turistas

É um dos destinos mais importantes da Grécia mas tem excesso de visitas — até já existem problemas com a água potável.

É muito bonito. Infelizmente, raramente está assim.

Engarrafamentos permanentes nas estradas, problemas no abastecimento de água potável e de eletricidade, dificuldade em gerir os resíduos. São estes alguns dos problemas com que se debate atualmente Santorini, o destino favorito dos turistas na Grécia, a seguir a Mikonos. Com apenas 25 mil residentes, a ilha recebe qualquer coisa como dois milhões de turistas todos os anos.

Há muito tempo que se falava na necessidade de reduzir o número de entradas em Santorini. Agora, o governo da ilha, liderado por Anastasios Sorsos, decidiu que está mesmo na altura de fazer alguma coisa. O programa começa com a limitação das chegadas diárias de cruzeiros, que vão passar de quatro em vez dos atuais sete a oito.

O objetivo deste plano, que deverá estar totalmente operacional em 2019, é de limitar a oito mil as chegadas de turistas de cruzeiro. Em época alta, este número chega aos 18 mil por dia.

Há mais. Anastasios Sorsos pediu ao Ministério do Turismo que declare Santorini turisticamente saturada e ao Ministério do Meio Ambiente que proíba novas construções fora das áreas urbanas. Na realidade este último pedido foi lançado numa petição em 2015, que nunca chegou a obter resposta.

Se a medida passar, Santorini vai conseguir controlar o surgimento de novos hotéis, bem como de empresas que prestam serviços turísticos.

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo