NiTfm live

Viagens

Piloto desmaia durante voo entre Porto e Funchal — e copiloto não podia aterrar

O voo da Transavia teve de regressar para o Porto. Tudo aconteceu na última sexta-feira, 3 de janeiro.
O voo aconteceu na sexta-feira de manhã.

Foi na manhã de sexta-feira, 3 de janeiro, que o piloto de um avião da Transavia que fazia a viagem entre o Porto e o Funchal, na Madeira, desmaiou a meio do voo. Segundo o “Jornal de Notícias”, que cita o site especializado The Aviation Herald, o comandante esteve inconsciente durante cerca de um minuto após uma provável quebra de tensão.

Quando acordou, não estava em condições para pilotar, e foi assistido por um médico que se encontrava a bordo entre os passageiros. O copiloto assumiu o controlo do avião, mas não tinha a formação nem a certificação necessária e obrigatória para aterrar no difícil aeroporto Cristiano Ronaldo, no Funchal.

Apesar de já estar mais perto do destino, ou de aeroportos como o de Porto Santo ou Lisboa, o voo TO-3450 regressou ao Porto, onde aterrou em segurança, 2h15 após a partida. Para se poder aterrar na ilha da Madeira é necessário um mínimo de 200 horas de voo no tipo de avião a utilizar, e o piloto tem de fazer uma aterragem e descolagem no Funchal ou treino em simulador com aterragem e descolagem em más condições meteorológicas naquela pista. A certificação tem de ser renovada de seis em seis meses.