NiTfm live

Viagens

Os corais da Grande Barreira australiana sofreram a maior descoloração de sempre

A perda de cor é a resposta natural dos recifes à elevada temperatura da água, causada pelo aquecimento global.
A culpa é do aquecimento global.

A Grande Barreira de Coral da Austrália, com cerca de 2300 quilómetros de extensão,  registou a maior descoloração de que há registo. A conclusão é do centro de estudos da Grande Barreira de Coral da Universidade James Cook. Este foi o terceiro episódio de descoloração nos últimos cinco anos — e, sem dúvida, o mais forte.

De acordo com os especialistas, este fenómeno deve-se às altas temperaturas dos oceanos, causadas pelo aquecimento global e pelas emissões de gases nocivos com efeito de estufa. Segundo a “CNN“, o diretor do centro de estudos e vários outros especialistas das autoridades locais que monitorizam os recifes, concluíram que há uma descoloração severa ao longo de toda a Grande Barreira — a grande maioria dos corais expeliu as algas, as suas maiores fontes de cor e energia, e por isso perdeu a sua coloração e ficou completamente branco. 

A investigação aconteceu durante nove dias, no passado mês de março, altura em que os cientistas fizeram cerca de onze voos para analisar os principais danos na Grande Barreira. Dos corais observados, cerca de um quarto estava afetado com gravidade, enquanto 35% tinha níveis moderados de descoloração.

“Pela primeira vez, a descoloração severa atingiu as três regiões da Grande Barreira de Corais – as partes norte, central e agora os grandes setores do sul. Estamos todos em choque com a rapidez com que isto aconteceu. Três episódios severos de descoloração não era algo que antecipávamos que acontecesse até metade do século”, afirmou Terry Hughes, diretor do centro de estudos.

Esta descoloração não é apenas a maior em termos da área afetada – é também a segunda mais grave já registada e que, de acordo com os investigadores, pode gerar danos duradouros e irreparáveis.

A descoloração, por si só, não mata definitivamente os corais. Porém, caso as águas dos oceanos continuem a registar temperaturas mais elevadas do que o habitual, os corais acabarão por morrer, acabando ainda com os habitats naturais de muitas espécies marinhas. De acordo com vários cientistas, as grandes mudanças climáticas a que temos vindo a assistir podem matar todos os recifes de coral da Terra até 2100.

Publicado por ARC Centre of Excellence for Coral Reef Studies – Coral CoE em Segunda-feira, 6 de abril de 2020