NiTfm live

Viagens

Os animais deste circo são virtuais — e o resultado é espetacular

Criado na Alemanha em 1976, o Circus Roncalli troca os elefantes e leões por imagens holográficas. Toda a gente adora.
Imagem holográfica.

A polémica em torno dos animais no circo tem sido grande. Em Portugal, a 11 de fevereiro, a Assembleia da República aprovou o diploma que proíbe o uso de macacos, elefantes, tigres, leões, ursos, focas, crocodilos, pinguins, hipopótamos, rinocerontes, serpentes ou avestruzes na arena.

Na Alemanha, há muito mais tempo que o Circus Roncalli não precisa deles para fazer as sessões. Foi durante os anos 90 que este circo, criado em 1976, decidiu deixar de usar animais. Em substituição, criou um dos mais espetáculos holográficos mais impressionantes do mundo.

Na arena, o entusiasmo é sempre enorme. Numa das apresentações, por exemplo, a música começa a tocar e surge no centro um elefante apenas apoiado nas patas traseiras, a cumprimentar a multidão. 

Minutos depois, quatro cavalos decorados entram e começam a galopar em torno da arena, com as cristas a brilhar.

Em declarações ao site alemão “Circus Talk”, o diretor do circo explicou que o objetivo é dar um bom espetáculo e que, para isso, não precisa de massacrar os animais. “O foco do Circus Roncalli é em números poéticos e acrobáticos”, disse.

Até 5 de maio, o circo esteve na cidade de Aachen, seguindo agora para Bonn e Hamburgo — pode consultar a tour de 2019 no site oficial. Para assistir aos espetáculos, os bilhetes têm preços a partir de 38,40€ e terminam nos 71,40€ (zona VIP).

tags: animais, circo