NiTfm live

Viagens

OneWayTickeTrip: o casal português que deixou tudo pelo amor às viagens

Adoraram as Filipinas, acharam Bali uma decepção e já vivem para viajar. Conheça Ivo e Carina, um fenómeno do Instagram.
Em Paris.

Na sua conta de Instagram, OneWayTickeTrip, Ivo Filpe e Carina Pinheiro contam já com 143 mil seguidores. Cada foto que partilham, de locais magníficos com poses incríveis e normalmente românticas, tem facilmente 10 a 20 mil gostos. Recebem, também, muitas questões colocadas pelos seguidores: quem são, que lentes usam, onde estão, o que recomendam e até o que vestem. Atualmente, são dois dos maiores influenciadores de viagens em Portugal, conhecem já metade do mundo e são também um casal — a celebrar agora cinco anos de namoro. 

Tudo começou em 2014, da mesma maneira que continua a ser perpetuado e partilhado: pelas redes sociais. Carina Pinheiro, agora com 25 anos, originária de Celorico de Basto é Visual Merchandiser de profissão. Ivo Filipe, 26 anos, de Cabeceiras de Basto, é Engenheiro Mecânico. Mal sabiam, há cinco anos certos, como a sua vida, que nem sempre tinha sido fácil, iria mudar com um namoro – e como iriam passar os próximos anos das suas vidas a viajar, explorar, conhecer mundo e partilhar, chegando a viver desta aventura.

A NiT falou com o casal, que contou toda a história da OneWayTickeTrip — e ainda dá conselhos, dicas e sugestões para todos os amantes de viagens.

Como e quando é que se conheceram?
Carina: Somos de terras vizinhas, o Ivo de Cabeceiras de Basto e eu de Celorico de Basto, mas durante 20 anos não soubemos da existência um do outro. Conhecemos-nos em 2014 quando estávamos a tirar as nossas licenciaturas no Porto. O Ivo descobriu-me através das redes sociais, e entrou em contacto comigo. Depois de algumas semanas de conversas, conhecemos-nos pessoalmente e pouco tempo depois o Ivo dizia estar apaixonado. A verdade é que eu também soube desde a primeira vez que o vi que ele era especial, mas como não acreditava no amor, tentei evitá-lo e não acreditar no que ele dizia sentir. Dei-lhe nove meses de luta, até que finalmente percebi que estava a perder a oportunidade de viver o amor da minha vida e não lhe resisti mais. Quando começamos a namorar ele contou-me que estava já alguns meses com uma depressão, a ser medicado e acompanhado por especialistas.

Ivo: A Carina foi uma grande ajuda para mim, juntos conseguimos construir uma relação muito forte e fazer com que conseguisse ultrapassar essa fase menos boa da minha vida. Costumo dizer que foi a minha salvação.

Desde o início da vossa relação que começaram logo a viajar?
Ivo e Carina: A nossa primeira viagem juntos foi a Madrid, quando namorávamos há cinco meses. Logo nesta viagem percebemos que viajar era uma paixão que partilhávamos e que para além de companheiros de vida éramos também o companheiro de viagens ideal um para o outro.

O que faziam na altura, que profissões tinham?
Carina: No nosso primeiro ano de namoro estávamos os dois a estudar. Nos anos seguintes o Ivo trabalhava como Engenheiro Mecânico numa multinacional e eu como Visual Merchandiser numa das mais reputadas marcas de fast fashion.

Quando decidiram criar o Instagram de viagens? Exatamente como começou esta plataforma e quando foi lançada?
I & C: Já gostávamos de partilhar as nossas vivências e viagens nas nossas contas de Instagram pessoais @carinapinheiro e @ivofilipe, mas na nossa primeira viagem juntos a Madrid, em 2015, surgiu a ideia de criarmos uma conta de Instagram e Youtube em conjunto para partilharmos tanto as nossas viagens como o nosso dia a dia em casal e outros interesses que temos mutuamente, como a moda. Nessa altura criamos o GoVisuals, que acabou por não durar muito, estávamos os dois a trabalhar e a estudar ao mesmo tempo, não tínhamos tempo para alimentar o projeto.

Depois de alguns anos a trabalharmos nos nossos empregos ditos “normais” estávamos bastante infelizes, tínhamos sido apanhados pela chamada rotina. Percebemos que não era aquilo que queríamos fazer para o resto das nossas vidas. Queríamos trabalhar nos nossos próprios projetos, trabalhar para realizar os nossos sonhos, a partir de qualquer lugar no mundo. E não estar presos a um escritório, a um horário das 9 às 18 horas e a trabalhar todos os dias para realizar os objetivos de alguém que não nós próprios.

Foi então que em 2017 decidimos largar tudo— emprego, casa, amigos e família — para partir numa viagem com apenas um bilhete de ida para o Sudoeste Asiático. Aí, resolvemos voltar a criar contas nas redes sociais em conjunto e foi quando nasceu o OneWayTickeTrip. Inicialmente com o objetivo de partilharmos a nossa viagem com a nossa família e amigos, mas pouco tempo depois do seu início, apercebemo-nos que quem nos acompanhava já não eram apenas os conhecidos, mas sim muitas outras pessoas que se identificavam connosco e com o nosso estilo de vida.

Foi fácil a decisão de deixarem vidas e empregos, sem rede de suporte?
Foi uma das decisões mais difíceis das nossas vidas. Deixamos tudo e partimos com algumas poupanças e muitos sonhos na mochila que carregávamos todos os dias às costas. O que no início era suposto ser apenas uma viagem de auto conhecimento e experiências para a vida, acabou por se tornar no nosso trabalho através da partilha diária da mesma. Dito assim, até parece que foi fácil tornar as nossas viagens no nosso trabalho, mas não se enganem, existiu e continua a existir muito trabalho por detrás das nossas partilhas diárias.

Neste momento, aproximadamente quanto dias passam na estrada por ano?
É difícil apontar um número exato, mas arriscamos a dizer que neste momento das nossas vidas viajamos duas vezes por mês. Estamos a tentar encontrar um equilíbrio entre os dias que passamos e aproveitamos no conforto da nossa casa e escritório e os dias mais agitados e corridos quando estamos de viagem.

Como conseguem fundear monetariamente as viagens?
Viajar tornou-se no nosso trabalho. Quando viajamos estamos normalmente a realizar vários projectos, que podem ser de criação de conteúdos para hotéis, promoção de um determinado destino, convites de marcas para conhecermos e divulgarmos os seus produtos junto da nossa audiência. Na nossa loja digital, vendemos ainda os nossos filtros para fotografias.

Somos muito gratos por termos tornado a partilha do nosso dia a dia no nosso trabalho. Apesar de trabalharmos mais do que aparenta e de estarmos constantemente a planear novos projetos, costumamos dizer que é um trabalho de sonho.

Até agora, quais os destinos que gostaram mais de visitar e porquê?
As Filipinas. Porque lá podemos experimentar a derradeira sensação de liberdade! E, claro, pelas pessoas. São tão genuínas, tão humildes, tão felizes (mesmo quando têm tão pouco). Achamos que mais do que amar as Filipinas, somos apaixonados pelos Filipinos. Maldivas também é um daqueles destinos que nos deixou completamente boquiabertos.

E os que mais vos decepcionaram (e porquê)?
Um dos países que mais nos decepcionou foi o Camboja. Um país onde as camadas sociais estão visivelmente vincadas, onde podemos ver de um lado um casino com carros de grandes marcas estacionados, e do outro um “bairro de lata” com pessoas na miséria. Ainda assim, adoramos o famoso complexo de templos de Angkor, que para além de ser Património Mundial pela UNESCO, é para nós o maior motivo para se visitar o país.

E ainda, infelizmente, Bali. Uma ilha com a qual temos uma relação de amor e ódio. Amamos Bali, tanto que depois de visitar pela primeira vez decidimos morar lá durante 4 meses. Adoramos a comida, a beleza natural da ilha, a cultura, os cafés/coworking spaces, as vilas e muitas outras coisas. Para alguém que, como nós, pode trabalhar a partir de qualquer lugar no mundo pode ser o local ideal para viver.

Então porquê a decepção?
O porquê de também dizermos que odiamos esta ilha tem muito a ver com a decepção que tivemos quando a visitamos pela primeira vez. Existe uma capa turística muito bem trabalhada, e a ideia que todos temos de Bali não corresponde totalmente à realidade. E a razão pela qual dizemos isso é porque lá podemos ter uma experiência inesquecível ou uma experiência bastante ruim. E passamos a explicar porquê… Quando as pessoas pensam em Bali, o que vem à mente é a bela praia de água azul, a vibe da ilha, o destino paradisíaco, etc. E podemos de facto encontrar tudo isto se formos aos lugares certos! Mas o que muitas pessoas não sabem é que as praias mais turísticas em Bali são de areia preta, bastante poluídas e muito turísticas. A ilha é caótica a nível de trânsito, e existem muitos locais que parecem mágicos nas fotos mas na realidade não são mais do que “selfie points” (como os balinenses lhes chamam). Locais onde se paga entrada apenas para tirar fotos nos cenários montados. Desde baloiços que aparentam que tivemos que trepar uma árvore para lá chegar, mas na realidade subimos por umas escadas que depois retiram para não se ver na foto.

O que pretendemos alertar é que devemos realmente efetuar uma pesquisa intensiva sobre a ilha, por forma a não cairmos no circo turístico e encontrarmos os locais intocados, as praias, o espírito que imaginamos quando pensamos em Bali.

Que viagens têm marcadas para este ano?
O nosso próximo destino é sempre uma surpresa para os nossos seguidores, mas podemos revelar aqui um deles em primeira mão, em Dezembro vamos à capital do Natal, Estrasburgo. Um local que já queríamos visitar nesta altura do ano há muito tempo.

E quais as que  estão na bucket list de ambos?
São tantos, mas os que estão no topo da lista para breve são Japão, Estados Unidos e Países Nórdicos.

Como gostam mais de se deslocar — comboio, avião, autocarro?
Avião é o meio de transporte que mais usamos. No entanto, gostamos muito de viajar em comboio, é bem prático, amigo do ambiente e cómodo para viagens de média distância. Também já optamos várias vezes pelos autocarros, e achamos ser uma opção económica para viagens entre cidades europeias, principalmente para quem pretende efetuar viagens noturnas.

E como escolhem e planeiam o próximo destino e as viagens?
Atualmente muitas das nossas viagens surgem em forma de convites de trabalho. No entanto, gostamos de encontrar um equilíbrio e fazer também viagens a destinos que sempre quisemos visitar de forma independente, assim temos mais tempo e disponibilidade para conhecer o local.

View this post on Instagram

Everyday I am grateful to walk by your side. You're much more than just a boyfriend. You're my safe haven, my best friend. You make me believe everyday that I am able to do more and you encourage me to chase after my dreams ✨ Besides all this you have a taste so similar to mine that allows me to also wear your clothes 😅 As with the sneakers this is not possible, we chose the same color and model of these @adidas . After all the DM’s asking from where are the sneakers we used in Brussels and we were using in the Atomium photo, we decided to put the link in our bio. So it's easier for you to see which model it is 😊 . (Anyone else stealing boyfriend's clothes? 👇🏼😂) . PT.: Todos os dias sinto-me grata por caminhar do teu lado. És muito mais do que apenas namorado. És o meu porto seguro, o meu melhor amigo. Fazes-me acreditar todos os dias que sou capaz de fazer mais e incentivas-me a correr atrás dos meus sonhos ✨ Para além de tudo isso tens um gosto tão parecido com o meu que me permite usar também a tua roupa 😅 Como no calçado isso não é possível, escolhemos a mesma cor e modelo destas @adidas . Depois de todas as mensagens a perguntar de onde são as sapatilhas que usamos em Bruxelas e temos na foto do Atomium, decidimos colocar o link na nossa bio. Assim é mais fácil verem qual é o modelo 😊 . (Mais alguém por aí a roubar a roupa ao namorado? 👇🏼😂) . . #adidas#adidaspartner#ad#brussels#visitbrussels#belgium#couplesgoals#couplelove#cutecouple#love#instacouple#togetherforever#coupletrip#couplegoals#onewayticketrip

A post shared by Carina & Ivo (@onewayticketrip) on

Qual a melhor coisa de viajar, sobretudo em casal— e desta vida das redes sociais e produção de conteúdos? E a pior?
Criar memórias juntos. Sentimo-nos sortudos porque a maioria das pessoas não tem a oportunidade de viver de forma tão intensa tantas experiências e conhecer culturas e realidades completamente distintas. Termos a sorte de o fazer juntos é algo pelo qual nos sentimos muito gratos.

Uma das coisas que mais adoramos no nosso trabalho é o facto de não estarmos presos a um local, a um escritório. Tanto podemos estar a trabalhar em casa, junto da nossa família, como num destino paradisíaco. E claro, as pessoas que nos acompanham todos os dias e todo o retorno que nos dão, é muito gratificante perceber que já fazemos parte dos dias de tantas pessoas.

Existem sempre pontos menos bons, neste caso o que mais nos afeta é o facto de estarmos sempre em movimento, sendo que não conseguimos planear tantas coisas como gostaríamos com a nossa família e amigos.

Se só pudessem sugerir um destino para este ano a quem vos segue, qual seria?
Filipinas para os que procuram a aventura e um destino paradisíaco, Roma para aqueles que gostam de explorar uma boa cidade e deliciar-se com a gastronomia. E ainda Maldivas para os apaixonados por praia e que procuram um lugar tranquilo, com uma beleza mais bonita do que a que estamos habituados a ver nos filmes, para desligar do mundo.

Com tantos passeios pelo mundo, como é regressar a casa? E como encaram este Portugal, também ele, cada vez mais turístico?
Costumamos dizer que é muito bom partir para uma viagem mas não há nada como regressar a casa e estar novamente perto da nossa família e amigos. Quanto à forma como encaramos Portugal, a verdade é que quanto mais viajamos mais sortudos nos sentimos por termos nascido neste país. Ter a sorte de nunca nos ter faltado nada, sempre termos como dado adquirido a nossa alimentação diária (algo que infelizmente não acontece com todas as pessoas no mundo), vivermos num país com segurança e onde os serviços de saúde estão disponíveis para todos.

Estar cada vez mais turístico é algo que nos deixa felizes. Temos um país tão bonito, com paisagens e locais tão diversificados, com uma gastronomia incrível, que achamos que todos deveriam conhecer.

Viajar muda a nossa vida?
Viajar muda a forma como encaramos a vida e algumas viagens podem realmente mudar a nossa vida. É quando saímos da nossa zona de conforto que as melhores coisas acontecem. Quando nos permitimos viver e experimentar coisas novas. E muitas vezes isso só acontece quando estamos longe da nossa casa, das pessoas que conhecemos, do nosso “porto seguro”.

Perceber que pessoas, noutras partes do mundo, vivem de uma forma totalmente diferente da nossa, por vezes com muito menos do que nós, que encaram os problemas de formas tão diferentes da que estamos habituados, ajuda-nos a simplificar o nosso dia a dia. Nas nossas viagens procuramos sempre conhecer muito mais do que os locais turísticos, gostamos de perceber como os locais vivem, onde comem e o que comem, porque isso é o que nos enriquece, é de onde trazemos as lições para aplicar nas nossas vidas.

E fortalece uma relação?
Pode fortalecer uma relação ou estragá-la. Quando viajamos somos postos à prova a todos os momentos, fazendo com que se revelem todos os ‘defeitos’ ou coisas que não gostamos tanto na outra pessoa. É por isso que é tão importante perceber os limites e barreiras de cada um e respeitá-las.

No nosso caso, viajar em conjunto fortaleceu imenso a nossa relação, até porque já nos conhecíamos muito bem um ao outro. Todas as experiências que vamos acumulando juntos fazem com que a nossa relação se fortaleça cada vez mais e que nos sintamos mais unidos.

View this post on Instagram

I've never been a morning person, but since I started waking by your side I started to be ✨ . For some time now we have been doing an exercise of gratitude every morning. It consists of thinking about three things for which we are grateful. One of the things we always think is the opportunity to wake up together every day. We can’t imagine another reality, but we know that not all couples are this lucky, and we imagine how difficult it must be. Thinking about them, @bondtouch created these bracelets we are using, ideal to shorten distances ✨ . Check out our Stories, we'll explain more about it ❤️ . PT.: Eu nunca fui uma pessoa de manhãs, mas desde que comecei a acordar do teu lado comecei a ser ✨ . Há algum tempo para cá temos feito um exercício de gratidão todas as manhãs. Consiste em pensar em 3 coisas pelas quais somos gratos. Uma das coisas que colocamos sempre é termos a oportunidade de acordar juntos todos os dias. Não imaginamos outra realidade, mas sabemos que nem todos os casais têm essa oportunidade, e imaginamos o quão difícil deve ser. A pensar neles a @bondtouch criou estas pulseiras que estamos a usar, ideais para encurtar distâncias ✨ . Vê as nossas Stories, vamos explicar mais sobre elas ❤️ . . #bondtouch#bondcouples#ad#hotelsandresorts#hotel#hotelroom#roomview#couplepics#couplesofinstagram#travelwithme#takemethere#coupleswhotravel#travelingcouple

A post shared by Carina & Ivo (@onewayticketrip) on