viagens

O truque de Gwyneth Paltrow — e de outras estrelas — para acabar com o jet lag

É a forma mais simples e barata de recuperar de voos e viagens, segundo várias atrizes de Hollywood.

John McClane fê-lo em “Die Hard“, as atrizes Naomi Harris e Gwyneth Paltrow juram que o resultado é garantido e agora a estrela de “Glee“, Lea Michelle, junta-se à corrente, numa versão adaptada. Esta é a forma mais simples — além de gratuita — de recuperar de voos e viagens longas, dizem.

A ideia é basicamente combater o jet lag com caminhadas ou passeios descalço e baseia-se numa teoria que já não é nova: o grounding, ou aterramento, assente na premissa de que a conexão com a energia do planeta é saudável para as nossas almas e corpos. Um pouco ligada a uma filosofia Nova Era, de ligação à Mãe Terra, o conceito tem no entanto um lado mais cientifico, afirmando que andar e caminhar descalço permite descarregar a energia estática acumulada no corpo durante as viagens.

No seu site de lifestyle, Goop, a atriz Gwyneth Paltrow já publicou diversos artigos sobre o tema e a forma como o “aterramento” pode, por exemplo curar insónias — além do jet lag. Mas atenção: a atriz também já foi citada a dizer que outro dos seus truques para o jet lag é enrolar-se em cobertores para o “suar” do corpo.

Os especialistas dividem-se sobre as bases cientificas da teoria, enquanto os gurus de bem-estar, como Dave Asprey (que também criou a dieta Bulletproof), publicam livros a dizer que, faça o que fizer durante um voo, incluindo beber álcool, nada lhe faz mal — desde que depois de voar, tire os sapatos e caminhe na terra, relva ou areia. Também pode comprar um  “tapete de aterramento”, desde que ande descalço, e cura o jet lag em pouco mais de meia hora.

No seu livro “Head Strong“, Asprey afirma que voar pode atrapalhar a carga elétrica nos nossos electrólitos, resultando na sensação de cansaço que conhecemos como jet lag.

Todo o tempo que estamos no ar, acumulamos uma carga estática e basicamente não carregamos a bateria por não estarmos ligados à terra, garante o guru. O que em teoria se resolve com a tal caminhada descalços.

E se ninguém duvida que o exercício físico é uma das melhores formas de repor os ciclos do corpo depois de um voo longo, em 2015, a revista de viagens “Travel + Leisure” publicou um extenso artigo sobre o tema onde lembra que o ar fresco e o sol também ajudam a recuperar.

No mesmo artigo sobre jet lag, um comandante com milhares de horas de voo refere esse truque invocando John McClane, personagem de Bruce Willis no filme de 1988 “Die Hard”, a quem disseram para andar descalço no tapete para recuperar do voo (o que acaba por não ser muito boa ideia no desenrolar do filme). “Não sei se resulta mas faço-o sempre”, diz o piloto.

No caso de “Die Hard”, não acabou muito bem.

Já que estamos em referências cinematográficas, o aterramento também originou dois clássicos momentos no filme “Pretty Woman“, em que é referido como um método de relaxamento e anti-stress.

Edward, ou Richard Gere, em “Pretty Woman”.

De volta à vida real, a atriz Naomie Harris garante que o truque funciona mesmo, e que o grounding a tem ajudado em inúmeras viagens.

No verão do ano passado, num post no Instagram, jurou que a melhor maneira de entrar em sincronia com um novo fuso horário é “chutar os sapatos e meias e conectar-se com a terra por uns bons 20 a 45 minutos, faça isso sempre que voar e isso vai ajudar o seu #jetlag !! #grounding #earthing”, escreveu na altura.

Agora, segundo a revista “People” da passada semana, também a estrela de “Glee”, Lea Michelle, jura pela teoria das caminhadas para curar o jet lag.

Sem nunca referir propriamente o aterramento, ou seja, a parte de andar descalço, mas frisando que roubou a ideia de Gwyneth Paltrow e do seu Goop, Michelle começar por explicar que “os aviões são incríveis, fazem-nos ver o mundo, mas podem ser muito difíceis para nossos corpos”.

A cantora e atriz, de 31 anos, faz voos semanais entre a costa leste e oeste dos EUA e garante que a primeira coisa que faz depois do avião aterrar é dar uma longa caminhada a pé, ao ar livre, para “fazer o corpo mover-se”, e que se sente sempre melhor a seguir. 

Lea Michelle explica ainda que tem uma “extensa rotina de viagens, com rituais, produtos e afins”, e um dos truques passa por beber um chá de limão no ar e usar óleos essenciais para hidratar a pele.