NiTfm live

viagens

O Cairo é uma das cidades mais apaixonantes e excitantes do mundo

Uma repórter da NiT fez uma das suas viagens de sonho: o Egito. E voltou com dez experiências de vida para si.
Uma cidade cheia de vida.

“Ponto de passagem, cidade internacional. Os espiões vão de viagem, joga-se o xadrez mundial. Ai, tudo é diferente. Ai, no Cairo quente.”. Lembra-se desta música, dos Táxi? Com certeza que sim: foi um dos maiores hits do rock português nos anos 80.

Quase 40 anos depois, o Cairo continua quente. Isso percebe-se assim que o avião começa a descer para aterrar no aeroporto da capital do Egito. Às 22 horas, o trânsito continua caótico, tornando a cidade numa lanterna gigante que fica acesa durante toda a noite. Foi isso que eu senti logo desde o primeiro minuto: inundada por 24 milhões de pessoas num clima fervescente. 

Nas margens do rio Nilo, o maior do planeta e o único que corre de sul para norte, existem centenas de prédios inacabados. É fácil imaginarmos tantas outras respostas para aquele cenário, mas o motivo verdadeiro é bem mais engraçado do que podemos imaginar. Sempre que um morador termina uma fachada de uma casa ou de um prédio, é taxado um imposto extra pelo Estado. Por isso, os egípcios, inteligentes, nunca acabam as casas, deixando-as em tijolo. Preferem gastar o dinheiro com móveis e peças de decoração para o interior, criando uma espécie de luxo inesperado. E como nunca chove, muitas das casas não têm sequer o telhado que tradicionalmente conhecemos.

Eles também gostam de pensar a longo prazo, por isso, constroem sempre os pilares da casa mais altos do que o primeiro andar. Eventualmente, os filhos vão querer sair de casa e casar. Em vez de comprarem outra, vão construindo por cima. 

Mas não é só na construção que os egípcios são bons. Algures na História foram abençoados pela magia da hospitalidade. Desengane-se se pensa que o Egito é parecido com Marrocos só porque ambos estão no norte de África. Aqui, para onde quer que vá, a atenção vai estar virada para si. E sem segundas intenções. Este povo gosta que se sinta realmente bem.

Um guia contou-me que, durante a Primavera Árabe, os radicais muçulmanos tentaram comprar o poder ao povo para chegar até ao presidente e ocupar este território. Nunca aconteceu. O Egito é conhecido pelo seu poder pacificador e os locais nunca iriam permitir essa destruição. Acredite, é um povo realmente sereno, capaz de nos fazer sentir imediatamente em casa.

Ainda assim, não deixa de ser um país com uma situação política turbulenta, sobretudo pela pressão internacional dos países árabes vizinhos. Onde quer que vá, tem de passar por vários detetores de metais. Eles existem até nos restaurantes, nas lojas e nos hotéis. Pode parecer assustador no início, mas ao fim de algum tempo torna-se tão natural e exótico quanto tudo o resto. 

Outra ideia errada sobre o Egito tem a ver com a forma como as mulheres são tratadas. Em primeiro lugar, não é obrigatório usar burka. Nem as turistas, nem as egípcias. Por isso, muitas mulheres optam por não o fazer, sem qualquer medo de represálias. Outra coisa surpreendente é o facto haver muitas mulheres a conduzir e a passearem sozinhas durante o dia e a noite, tal como em qualquer país da Europa.

voos de Lisboa a partir de 314€ ida e volta, sempre com uma escala obrigatória, em Londres, Casablanca ou Zurique, consoante a companhia que escolher. Já desde o Porto, o mais barato que encontrámos no Google Flights ficava a 440€, ida e volta. No total, com paragem, a viagem nunca vai durar menos de sete horas e meia.

O alojamento, para três noites num hotel de cinco estrelas, pode custar, no mínimo, 269€ (fizemos uma pesquisa no Booking para um fim de semana em março). Já de quatro estrelas, consegue opções mais em conta, a partir de 160€ para duas pessoas.

Agora que o convenci a visitar o Cairo, saiba que há dez experiências que tem mesmo de ter nesta cidade. Algumas delas são grátis e podem mudar a sua perspetiva de vida sobre muitos temas.

Carregue na galeria para conhecer as sugestões da repórter da NiT.