NiTfm live

Viagens

Neste boutique hotel as girafas tomam o pequeno-almoço com os hóspedes

O Giraffe Manor tem 12 animais da espécie Rothschild, em vias de extinção, e eles passeiam livremente pela propriedade. Tanto que não têm sequer vergonha de meter o pescoço pela janela.

Há 12 girafas da espécie Rothschild.

Numa reserva natural com 140 hectares, a apenas 20 quilómetros de Nairóbi, no Quénia, há um boutique hotel que é tudo menos convencional. Além de 180 espécies de aves, tem como visitantes frequentes antílopes e javalis. Mas não é destes animais que os hóspedes vão à procura — no Giraffe Manor, como o próprio nome indica, as estrelas são as 12 girafas da espécie em vias de extinção Rothschild.

Construída em 1932 por David Duncan, membro da família Mackintosh, criadora dos Mackintosh’s Toffee, uma guloseima bastante popular no Reino Unido, esta casa colonial tem uma fachada majestosa, interiores elegantes, verdejantes jardins verdes, terraços ensolarados e pátios encantadores. Em 1974, a mansão foi comprada por Jock e Betty Leslie-Melville — ela era conhecida como a Lady Girafa devido ao seu trabalho na preservação da espécie.

Em 1984, após a morte de Jock Leslie-Melville, Betty decidiu abrir a casa ao público. Anos mais tarde, a propriedade passou para as mãos da família Carr-Hartley, onde está desde 2009.

Entrar neste espaço é como mergulhar no filme “África Minha” — tanto que uma das duas suites (no total são dez quartos) recebeu o nome da autora, Karen Blixen. Mick Jagger, Madonna, Richard Branson e Gisele Bündchen são alguns dos famosos que já passaram por esta casa, e que fizeram questão de partilhar o seu pequeno-almoço com os animais — é uma das atividades do Giraffe Manor.

Há outras. Pode usufruir de uma massagem, jogar croquet, visitar o museu Karen Blixen ou simplesmente usufruir do quarto. Decorado em estilo Art Déco, tem três quartos duplos (Betty, Lynn e Arlene); quatro quartos duplos ou twins (Daisy, Jock, Marlon e Helen); um twin (Kelly); e duas suites (Finch Hatton Suite e Karen Blixen Suite).

“Eu e o meu irmão costumávamos passar por aqui muitas vezes. Havia sempre girafas”, diz a dona

Camas de dossel, mobiliário antigo, casas de banho espaçosas. Os atuais proprietários, Mikey e Tanya Carr-Hartley, têm ambos 45 anos e são pais de Sala, de 12 anos, e dos gémeos Kinna e Tisa, 8. Foram eles que fundaram a empresa The Safari Collection, que oferece quatro espaços de sonho no Quénia.

“Eu cresci numa casa muito perto daqui, a apenas um quilómetro em linha reta”, contou Tanya Carr-Hartley à revista espanhola “Hola El Salvador”, em abril deste ano. “Eu e o meu irmão costumávamos passar por aqui muitas vezes. Havia sempre girafas”.

A mãe era amiga da família Leslie-Melville, proprietária da casa colonial, por isso anos mais tarde o casal decidiu fazer uma proposta para comprar a casa. A resposta foi “não está à venda”. Anos mais tarde, mais precisamente em 2009, a família mudou de ideias. Tanya e Mikey Carr-Hartley não pensaram duas vezes.

Atualmente existem 12 girafas na propriedade, onde se inclui Lynne, Irene e Jock. Todas elas descendem das cinco girafas de Rothschild que foram trazidas pelo casal Jock e Betty Leslie-Melville em 1974.

O Giraffe Manor só oferece estadia completa, por isso todas as refeições e bebidas — como vinhos da casa, bebidas espirituosas, cervejas e refrigerantes — estão incluídas. Também há veículos com motorista ao dispor dos hóspedes, caso alguém queira fazer um passeio pela região, assim como o transfer de e para o aeroporto. Quanto aos preços, começam nos 504€ por pessoa.

Carregue na imagem para saber mais sobre o Giraffe Manor.