NiTfm live

Viagens

Luanda é uma cidade surpreendente — e temos um guia para o provar

A TAAG — companhia aérea angolana — é a única a voar diretamente do Porto para a capital de Angola, com três voos semanais.
Há tanta coisa para fazer na capital de Angola.

Luanda não é apenas um destino para onde se viaja em trabalho e negócios. Pelo contrário, é uma cidade onde se podem passar muito bons dias de férias. E não é difícil perceber porquê — tem praias paradisíacas, centros urbanos vibrantes, safaris e trilhos incríveis, ilhas de sonho, comida deliciosa, mercados artesanais e, claro, temperaturas amenas durante o ano inteiro.

Não há como falar de Luanda sem falar dos concertos, festas e sunsets que acontecem praticamente todos os dias no centro da cidade. E é mesmo por aqui que começamos: a baía de Luanda e a avenida 4 de Fevereiro, mais conhecida como Marginal, são o ponto de encontro dos moradores e dos visitantes.

A energia positiva do povo angolano é uma das suas principais características. A identidade africana e a alegria da população são bem visíveis na cidade e há uma coisa que nunca lhes pode faltar: música. Os ritmos de kizomba, semba, rebita e kuduro são os favoritos.

O Festival Sons do Atlântico é um exemplo disso mesmo. O evento realiza-se todos os anos na Baía de Luanda, mesmo no centro da cidade. A programação conta sempre com artistas locais e internacionais e música popular, pop e hip-hop.

O sítio perfeito para conviver com a população local é o Mercado Artesanal do Benfica, no município de Belas, mais a sul. É lá que pode encontrar, todos os dias, centenas de artesãos a vender estátuas e máscaras tradicionais. Também há espaços onde os artistas vendem as suas pinturas e vários tipos de antiguidades ou objetos de artesanato.

É ali naquela zona costeira de Belas que vai encontrar o Miradouro da Lua. Este é um ponto turístico imperdível para os fãs de fotografias com paisagens incríveis como fundo. O Miradouro da Lua é um ponto turístico de paragem obrigatória e — melhor ainda — fica a caminho de outras belíssimas zonas, como a Barra do rio Kwanza ou as praias do Cabo Ledo (com ondas perfeitas para os surfistas). Nesta zona do Cabo Ledo, o melhor sítio para ficar é mesmo o Carpe Diem, um resort tropical com cabanas e bungalows em madeira para descansar no meio da natureza.

É um conjunto de falésias maravilhosas.

O Mussulo é uma das mais famosas penínsulas de Luanda e é também a mais bonita para a maioria dos turistas. É lá que pode fazer as suas férias descansadas bem longe da confusão do centro urbano: as praias são paradisíacas e as águas calmas — e o melhor de tudo é que estão sempre mornas. As plantações de coqueiros também se destacam nas paisagens.

Por ali vai encontrar bares de praia, restaurantes e vários hotéis ou resorts luxuosos para que nunca tenha de sair deste paraíso. Se quiser passar uns dias perto destas praias, deve procurar um dos vários alojamentos no Mussulo. Pode optar, por exemplo, pelo resort Roça das Mangueiras — com uma vista deslumbrante para o mar. Boat surfing, snorkeling ou passeios de mota de água são algumas das atividades que o resort disponibiliza. 

O transporte para o Mussulo faz-se de barco por cerca de 1000 kwanzas (cerca de 1,84€) a partir do Embarcadouro do Mussulo, em Morro Bento. A viagem dura cerca de 15 minutos.

A península tem 30 km de extensão.

Para quem gosta de aventuras e de destinos fora das rotas habituais, há experiências de uma vida por zonas que ainda permanecem naturais e preservadas — como é o caso do Parque Nacional da Kissama. O parque natural, fundado em 1957, tem cerca de 9600 quilómetros quadrados e não é uma reserva privada. Quer isto dizer que os animais andam por toda a área e convivem livremente.

A entrada no parque custa 2500 kwanzas (cerca de 4,60€) por pessoa. Porém, para fazer um safari de um dia e conseguir ver os animais no seu habitat natural, terá de pagar mais 4000 kwanzas (cerca de 7,40€) por pessoa. Há ainda outras empresas — como a Eco Tur Angola — que organizam passeios de um ou dois dias pelo Parque Nacional da Kissama e pelo rio Kwanza. 

Mais uma boa notícia: ao contrário do que acontecia até há poucos anos — quando o visto para passar férias em Angola era muito difícil de obter —, o turismo tem vindo a ser facilitado com a possibilidade de pedido de visto online através do site do Serviço de Migração e Estrangeiros de Angola. O processo é super rápido (o visto de turismo, por exemplo, tem um prazo de emissão de três dias úteis após o pagamento) e custa cerca de 110€.

Para chegar a Luanda a partir de Lisboa ou Porto, o melhor mesmo é voar com a TAAG — Linhas Aéreas de Angola. Todos os dias há dois voos de Lisboa para Luanda (um diurno e outro noturno). A partir do Porto, a TAAG é a única companhia aérea a voar diretamente para Angola — há voos noturnos à terça-feira, à quinta-feira e ao sábado. Os voos duram cerca de 7h30.

Para fevereiro de 2020, pleno verão no hemisfério sul, ainda consegue marcar voos (de ida e volta e taxas incluídas, sujeito a variação e disponibilidade de lugares), com partida de Lisboa ou Porto, a partir de 424€.

Este artigo foi escrito em parceria com a TAAG.