NiTfm live

Viagens

Hermann, o homem com Alzheimer que toca à janela — e conquistou Espanha

Uma pequena mentira fê-lo acreditar que os aplausos eram para si. Ficou famoso e agora os vizinhos cantam o seu nome.
Ele bem merece os aplausos

A dieta de notícias é, por estes dias, maioritariamente feita de estatísticas, números negros e previsões sombrias. Entre elas surge, por vezes, um pequeno sinal de esperança — afinal, nem tudo tem que ser triste e aborrecido durante o isolamento forçado. Um desses casos chega de Espanha, onde um vídeo rapidamente se tornou viral. O filme e a história de Hermann e Teresa, um casal octogenário que protagonizou um dos momentos mais enternecedores da quarentena.

Numa das muitas homenagens em forma de salva de palmas, feitas à janela pelos espanhóis aos profissionais de saúde, a cuidadora de Hermann Schreiber lançou uma pequena mentira e convenceu o alemão diagnosticado com Alzheimer que aqueles aplausos eram para si. Não eram, mas a notícia rapidamente chegou aos vizinhos, que agora repetem diariamente o aplauso e entoam em coro o nome do alemão, que já começa a variar o repertório — e que agora conta com dias bem mais divertidos.

A história do casal é relatada pelo “El País”, que recorda a paixão de Hermann pela harmónica, através dos relatos de Tamara Sayar, a cuidadora que por estes dias é a única companhia do casal que mora em Vigo.

A comunicação entre ambos é difícil. Ele foi-se esquecendo do castelhano que havia aprendido. Teresa Dominguez, a esposa, também já não fala alemão. Compreendem vagamente o que se passa lá fora e porque é que têm que se manter fechados em casa, embora não seja algo que os incomode muito. “Eles também já não tinham uma vida social muito ativa”, revela Tamara.

Em casa, Hermann é feliz, na companhia de Teresa — com quem fala por pequenos gestos — e da sua fiel harmónica, que leva para todo lado há anos. “Chegou a contar-me que foi em trabalho à China e que eles ficavam fascinados a ouvi-lo tocar. Agora está irritado com eles porque diz que comem animais esquisitos”, explica.

Os concertos continuam a ser dados à janela e são cada vez mais o ponto alto da rotina de Hermann. “Esta segunda-feira emocionou-se. Também me perguntou se podia cantar e disse-lhe que sim. Estreou-se com uma canção tirolesa e agora estamos a rever o repertório. É tudo muito bonito.”