NiTfm live

viagens

Há um cartão que lhe permite levantar dinheiro lá fora sem taxas

Para quem vai viajar, sobretudo para fora da Europa, levantar dinheiro pode sair caro — mas claro que já houve quem inventasse uma solução.

Se costuma viajar, sabe que quando há um destino novo para descobrir ou aproveitar, todos os euros contam. Ou libras. Ou dólares. É isso mesmo, já evoluímos tanto que há planos para viagens turísticas a Marte, mas se formos a Londres e levantarmos dinheiro ainda pagamos uma série de taxas, e isto a cada levantamento. Fora da Europa, ainda pagamos mais.
 
Há bancos que facilitam, que prometem isenções em determinadas condições, mas o que o anda mesmo a pôr os viajantes loucos, sobretudo os que viajam para fora da Europa é um cartão-app revolucionário, e que por isso se chama Revolut.

O cartão surgiu em 2015 e é uma aplicação de dinheiro e cartão de débito para ajudar quem viaja a levantar dinheiro sem taxas— e o essencial é isto, mas há muito mais.

A questão é complexa, envolve taxas de câmbio, opção de carregar em libras, dólares e euros e depois trocar moedas na taxa de câmbio interbancária e não na de consumidores, mas basicamente o que lhe interessa é isto:

Primeiro instala a App Revolut, disponível para Android e iOS, através da Google Play ou App Store. Uma vez instalada, pode carregar a conta e gastar on-line através de um cartão de crédito eletrónico, armazenado de forma segura na aplicação, por exemplo para pagar a Uber no estrangeiro, ou comida.

Se preferir, no site, pede também um cartão físico, que demora alguns dias a chegar e custa aproximadamente seis euros. Quando o recebe, associa-o à sua conta e depois é só carregar, com transferências bancárias, por exemplo.

Se quiser poupar tempo, ao carregar escolhe logo a moeda do país para onde vai e assim o dinheiro fica disponível mais rápido. O serviço tem várias nuances consoante o uso, por isso se vai aderir o melhor é ler todas as perguntas e respostas no site e tirar todas as dúvidas.

Mas em linhas gerais, as grandes vantagens — aparentemente grandes o suficiente para o cartão se tornado um sucesso à escala mundial em pouco mais de um ano — é que pode carregar a conta a cada momento, mesmo já no estrangeiro, basta ter um computador.

Além disso, quase não paga taxas: se controlar os levantamentos não paga mesmo, e isto em qualquer país do mundo, porque o Revolut só cobra 2% por levantamento se ultrapassar os 200€ mensais (e mesmo ultrapassando paga menos do que com um cartão bancário). E ainda pode transferir dinheiro para outras contas usando SMS, email ou WhatsApp.