NiTfm live

Viagens

Gruta na Tailândia onde 12 rapazes estiveram presos é agora atração turística

Para a visitar, tem de pedir autorização à organização do parque natural, em Chiang Rai.
A equipa esteve presa 17 dias.

Os turistas já podem visitar Tham Luang, a gruta na Tailândia onde 12 rapazes estiveram presos com o treinador da sua equipa de futebol, em julho de 2018. O anúncio foi feito na sexta-feira passada, 8 de novembro, pelo gabinete de relações públicas de Chiang Rai, a província onde fica a gruta mais famosa do mundo.

O gabinete informou ainda que a gruta pode receber 30 pessoas de cada vez, para um total de duas mil por dia. Para lá entrar, os visitantes têm de preencher um formulário e receber uma autorização do parque natural Tham Luang Khun Nam Nang Non, que só permite visitas entre as 8h30 e as 16h30.

Entretanto, o próprio parque passou de uma classificação de “florestal” a “nacional” em outubro deste ano, no seguimento de um pico no número de visitas depois dos esforços internacionais para retirar a equipa e o treinador da gruta, que ficaram presos devido a uma cheia inesperada.

Os miúdos — com idades entre os 11 e os 16 — e o treinador de 25 anos foram visitar o local a 23 de julho de 2018 e acabaram por ficar lá retidos durante 17 dias. Nos primeiros nove sobreviveram apenas da água que pingava das rochas, até serem finalmente descobertos.

Todos foram salvos em segurança por um esforço que envolveu voluntários internacionais de várias áreas ao longo de alguns dias. No entanto, Saman Gunan, um antigo mergulhador da marinha tailandesa que participou no salvamento, acabou por perder a consciência e morrer quando estava a sair da gruta.

No último ano, perto de um milhão e meio de pessoas visitou Tham Luang, apesar de  entradas estar vedada devido às recuperações estruturais.