NiTfm live

Viagens

Grécia está a vencer a Covid-19 — e prepara reabertura aos turistas já em julho

Com apenas 2.691 casos e 150 mortos, o governo aponta medidas de segurança para incentivar o turismo ainda este verão.
Será que vai ser possível?

Ao contrário do que tem acontecido na maioria dos países europeus, a Grécia é a prova que as medidas de contenção, quando aplicadas a tempo, podem ser fundamentais no combate ao novo coronavírus. Com apenas 2.691 casos e 150 mortos até este sábado, 9 de maio, a Grécia é um dos países que tem vencido eficazmente a Covid-19, ao impor medidas rígidas, rigorosas e precoces.

Algumas empresas, como cabeleireiros e livrarias, foram autorizadas a reabrir pela primeira vez durante estes últimos dias. O plano é um desconfinamento por fases, tal como em muitos outros países. E é por isso mesmo que Kyriakos Mitsotakis, primeiro-ministro grego, acredita que, com cuidados, será possível reabrir as fronteiras aos turistas a partir de 1 de julho.  

À “CNN“, o primeiro-ministro disse que, apesar de este ser inevitavelmente um verão diferente para todos, mesmo sem “bares abertos ou multidões, será possível ter uma experiência fantástica na Grécia – desde que a epidemia global esteja num caminho descendente”.

Voltar a receber turistas significa reabrir o país a pessoas potencialmente portadoras do novo coronavírus. Mas Mitsotakis não pensa dessa forma e espera que os atuais regimes de testes rápidos possam ser melhorados para reduzir o risco de contágios. Neste momento, por exemplo, todos os viajante internacionais fazem o teste rápido para a Covid-19 ao chegar ao aeroporto de Atenas.

O jornalista da “CNN”, que foi entrevistar Kyriakos Mitsotakis à Grécia, explicou que toda a equipa de reportagem teve de preencher um formulário com todas as informações pessoais e o número do lugar no avião – provavelmente para permitir às autoridades rastrear contactos próximos caso alguém a bordo tenha um resultado positivo. Ao desembarcar em Atenas, a equipa foi levada para uma sala onde fizeram a zaragatoa. Os resultados chegaram em menos de 12 horas.

É precisamente este tipo de medidas de contenção que Mitsotakis espera que seja possível implementar para que se possa receber turistas. O primeiro-ministro fala em padrões internacionais, ou pelo menos europeus, que estabeleçam os mesmos protocolos de viagem em todo o lado. “Eu diria que as pessoas devem ser testadas antes de entrarem num avião e não depois de chegarem à Grécia. Elas só devem poder entrar no avião com um teste negativo ou com um teste de anticorpos positivo”, explicou o primeiro-ministro grego.

Com as dificuldades que se prevêem para os voos nos próximos tempos – como a diminuição da oferta e o aumento dos preços –, o primeiro-ministro diz que o “agroturismo ou o turismo em hotéis mais pequenos parecem mais adequado para este novo tipo de mundo pós-pandemia”. 

Com mais de 31 milhões de turistas em 2019 – três vezes sua população – a Grécia mais do que duplicou o seu número de visitantes em dez anos. Pelo menos um em cada quatro gregos trabalha no turismo ou em indústrias relacionadas. As previsões iniciais para 2020 projetavam um ano de expansão, porém, o pior aconteceu.