NiTfm live

viagens

Gap Year Portugal dá 6500 euros a jovens que queiram viajar durante um ano

A associação lançou a quinta edição do concurso. Basta ter menos de 27 anos para conhecer o mundo durante um ano.
A oportunidade de uma vida.

Beatriz Pamplona, 22 anos, e Pedro Spínola , de 24, conheceram-se no curso de Engenharia Biomédica. Depois de colegas de sala, passaram a namorados e daí a companheiros de viagem. No ano passado, ganharam o concurso Gap Year: o que quer dizer que os dois jovens portugueses estão, desde janeiro, a viajar pelo mundo durante dez meses. Neste preciso momento, andam pela Índia com 6500 euros na conta, oferecidos pela plataforma portuguesa.

A NiT contou-lhe toda a história dos vencedores desta incrível oportunidade no ano passado mas o melhor vem agora:  o concurso está de volta. E vai dar mais 6500 euros de bolsa para quem quiser fazer uma pausa durante um ano e passar esse tempo a conhecer o mundo.

As candidaturas para o Concurso Gap Year Portugal 2019 abriram na passada quinta-feira, 7 de março, e estendem-se até 9 de junho.

A Gap Year Portugal lançou, pela quinta vez a nível nacional e desta feita com o apoio da Fundação Lapa do Lobo, esta oportunidade cujo desafio é apenas um: criar um plano para o gap year e submeter a candidatura.

Os candidatos deverão ter o ensino secundário concluído ou acabá-lo este ano mas também já podem ter concluído a universidade, mestrado ou doutoramento. As idades aceites são entre os 18 e os 27 anos.

Para participar, cada interessado precisa de preencher uma ficha de pré-registo no site oficial. Depois, tem de enviar um processo com o seu projeto da viagem, objetivos, roteiros e percursos, soluções de deslocação e alojamento e demonstrar que o projeto é sustentável com os valores da associação.

A proposta vencedora será então premiada com uma bolsa de 5000€, no caso da candidatura ser individual, ou de 6500€, no caso da candidatura ser conjunta. Cada projeto pode integrar até dois jovens: sejam ambos do sexo masculino, ambos do sexo feminino ou de sexos diferentes.

A organização explica à NiT que o o concurso Gap Year Portugal pretende que os portugueses possam considerar um percurso fora da caixa. No fundo, aproveitar o ano entre estudos, ou entre o final dos estudos e o início do mercado de trabalho, como um período de reflexão e desenvolvimento pessoal — para o qual experiências como viajar, fazer voluntariado, estagiar ou até mesmo experimentar cursos na faculdade são cruciais.

Beatriz e Pedro, os atuais vencedores, dizem que estão a viver um sonho do qual não querem acordar. Antes deles os vencedores foram, em 2015, Tamára Brandão e João Amorim, que percorreram a América Latina e visitaram países como Colômbia, Peru, Costa Rica, Nicarágua e Guatemala.

Em 2016, venceu João Bonifácio, que passou pela América do Sul, viajando por entre Brasil, Argentina, Paraguai e Chile, e até foi dar um pulo a Miami.

A vencedora da edição 2017 foi Ana Rita Soares, que partiu, sozinha, para o Sudeste Asiático. Esteve na Tailândia, Cambodja, Laos, Vietname e Indonésia e envolveu-se nas comunidades locais, entre couchsurfing e projetos de voluntariado.

Para esclarecer todas as dúvidas, a associação organiza um evento anual que reúne futuros viajantes, antigos vencedores do concurso e até pais dos interessados. O sétimo Gap Year Summit realiza-se nos dias 30 e 31 de março, em Coimbra.

A Gap Year Portugal é uma associação sem fins lucrativos que pretende usar o ano sabático para o desenvolvimento académico, pessoal e profissional e inovar o ensino em Portugal. A entidade lembra que a entrada da faculdade é sempre uma altura complicada para um jovem: segundo dados da Direção-Geral do Ensino Superior, um em cada cinco alunos desistem ou mudam de curso ao fim de um ano.

Carregue na galeria para saber mais sobre o casal vencedor do ano passado e descobrir as suas incríveis experiências na estrada.