NiTfm live

Viagens

Este trilho secreto em Santarém vai dar a uma praia fluvial de água cristalina

O percurso passa por galerias subterrâneas, grutas que abrigam espécies protegidas de morcegos e cursos de água infinitos.
Fica a pouco mais de uma hora de Lisboa.

A paisagem verdejante e rodeada de árvores do trilho dos Olhos de Água do Alviela, no distrito de Santarém, não só é linda, como ainda faz sombra para que os visitantes se possam abrigar do sol nas horas de maior calor. 

Fica a pouco mais de uma hora de Lisboa, na fronteira entre o Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros. Com apenas dois quilómetros de extensão, o percurso é considerado de dificuldade baixa e pode completá-lo em menos de uma hora. Assim, tem mais do que tempo para aproveitar a praia fluvial e relaxar ao final do dia.

A nascente dos Olhos de Água do Alviela é uma das mais importantes do País e situa-se, tal como acontece com outras da região, na orla do Maciço Calcário Estremenho. A água que brota é originária da chuva que se precipita e se infiltra no Planalto de Santo António e é conduzida até este local por uma complexa rede de galerias subterrâneas que constituem as centenas de grutas existentes na região.

Ao longo do percurso, vai passar por grutas interditas e que há muito foram abandonadas por causa da água. Hoje servem de abrigo a cerca de uma dezena de espécies protegidas de morcegos.

O trilho secreto percorre parte da ribeira dos Amiais (um pequeno afluente do Alviela) que desaparece no interior de uma rocha e segue um caminho subterrâneo ao longo de 250 metros até reaparecer à superfície. A passagem — também conhecida como janela cársica — foi provocada por milhares de anos de erosão do solo e tornou-se uma enorme atração.

Entre os pontos de maior interesse estão a vista geral sobre a nascente dos Olhos de Água e a foz da ribeira dos Amiais, o canhão dos Amiais, a janela cársica — onde se vê acesso a grutas que correspondem a antigos leitos da ribeira subterrânea e a saída de nível do Poço Escuro, construída durante o século XX, e que expele água quando há precipitações muito elevadas.

No final, vale a pena aproveitar a praia fluvial de Olhos de Água que foi requalificada. Durante mais de 100 anos, esta água era utilizada para o abastecimento de grande parte da cidade de Lisboa. Agora, as águas cristalinas e tranquilas são ideais para nadar livremente e curtir o dia com os miúdos.

Como a praia é pequena, não há muito espaço para as toalhas na areia, mas há muitas zonas verdes onde pode aproveitar o dia e descansar. O percurso, sinalizado nos dois sentidos, tem início e fim junto aos Olhos de Água, no edifício da EPAL. O caminho é circular, fácil e curto.