NiTfm live

viagens

Milionário paga a quem o ajudar a recriar versão real de videojogo numa ilha secreta

Um excêntrico está a oferecer milhares para contratar quem o leve a concretizar o sonho de criar o "Battle Royale" ao vivo.
A foto, ainda vaga, do anúncio.

Este novo recrutamento internacional pode entrar na categoria de empregos de sonho devido ao valor oferecido, além de envolver viagens e ilhas secretas. Mas esta vaga é sobretudo pensada — e idílica — para todos os fãs de videojogos de combates e batalhas.

Um excêntrico milionário, que pretende para já permanecer anónimo, está a recrutar alguns interessados para o ajudarem a planear e a recriar um popular jogo, mas na vida real. O seu sonho é reunir 100 pessoas para o famoso “PUBG Battle Royale” numa ilha deserta, recriando ao detalhe todo o ambiente da sua diversão eletrónica favorita, embora com garantias de segurança absolutas e rigorosas — até porque sem elas a coisa poderia obviamente correr muito mal. Tudo gira em torno da sobrevivência e no final, só um jogador fica. 

É precisamente para auxiliar em todo o planeamento que é agora pedido um ajudante, pago a preço de ouro: cerca de 1500 libras, ou 1700€, ao dia por aproximadamente seis semanas de trabalho. O valor total pode chegar aos 45 mil euros.

O anúncio está no HushHush, uma plataforma recente que se apresenta como um site internacional para os ricos e amantes do luxo em todo o mundo — e onde se vendem e trocam joias caras, carros raros, iates, serviços exclusivos e afins. A página é tão excêntrica que já tinha sido notícia por um outro emprego de sonho no início do ano: era então pedido um testador internacional de iates, joias, viagens e carros de luxo.

E agora, para ter uma ideia, há também por lá um milionário a pedir ajuda para encontrar adereços verdadeiros de “A Guerra dos Tronos” (que paga, e bem, a quem os tiver) para depois criar o seu próprio parque temático da série — claro, porque não?

Voltando à vaga de emprego para o jogo da vida real agora publicada, os responsáveis explicam que procuram “alguém que possa ajudar a projetar um evento inspirado no ‘Battle Royale’ com 100 pessoas”.

“Fomos abordados por um dos nossos clientes, que estava à procura de uma ilha particular, para ajudar na organização do campeonato” explica a HushHush, citada pelo “Mashable“.

A plataforma adianta que, quando o evento estiver numa fase mais avançada, também irá gerir as inscrições para o campeonato, que se espera um mimo para excêntricos fãs de jogos: é que, dos 100 participantes numa competição de três dias, com 12 horas de combate por dia, o vencedor receberá um prémio final de cerca de 115 mil euros. Os participantes vão acampar na ilha e todos os alimentos, materiais de campismo e de sobrevivência e equipamento necessário serão fornecidos.

A empresa adianta ainda que o evento vai ter rigorosas normas de segurança, além de obviamente ser feito com armas falsas. Para a vaga, é preferido alguém com experiência em criação de jogos ou criação de eventos e cenografia em larga escala. “Queremos um talentoso gamemaker para nos ajudar a tornar o evento o mais realista possível”, resumem.

Para se inscreverem, os interessados só têm de preencher um formulário online. Se o campeonato deste ano for um sucesso, é ainda adiantado no site, o misterioso milionário tenciona fazer dele um evento anual.

Apesar das garantias de segurança, nos sites de jogos onde esta vaga de emprego faz notícia, nem todos os meios a apoiam. Alguns, como o “Thenextweb“, criticam a recriação de violência, ainda que de forma fictícia — um pouco como são, por vezes, criticados os videojogos deste género desde a sua génese e incrível popularidade.

O “Battle Royale” mistura elementos de sobrevivência, exploração e procura de equipamentos. A versão que o milionário pretende recriar, o “Unknown’s Battlegrounds”, foi lançada em 2017 e já vendeu desde então mais de 25 milhões de unidades em todo o mundo.