NiTfm live

Viagens

Agência de viagens dá novas dicas para viajar — agora sem sair de casa

Numa altura em que conhecer novos destinos não é possível, os portugueses podem trazer os destinos até si.
Fazer um Bucketlist Map é uma das opções.

No tempo de pandemia, isolamento e contenção em que vivemos, as viagens podem ser a coisa mais distante na nossa mente, mas em nome da força mental e esperança no futuro, não precisamos de as eliminar completamente. Há maneiras de viajar mesmo estando em casa — lendo livro de viagens, vendo filmes com o tema, revendo fotos, planeando. 

Agora, uma agência do setor, dedicada a escapadinhas surpresa, decidiu provar que, mesmo em tempo de quarentena, viajar também pode ser possível dentro de casa. Numa altura em que conhecer novos destinos não é de todo possível, os portugueses podem trazer os destinos até si, de certa maneira.

Por isso, a FlyKube sugere desta vez não viagens, como frisa, mas cinco dicas de especialistas, de atividades para viver a experiência de estar num país diferente, sem sair do conforto do lar.

A primeira sugestão é a de dedicar parte do seu tempo a aprender uma nova língua. Isso mesmo: usar o tempo livre em casa para aprender uma nova língua e para que numa próxima viagem possa misturar-se com os locais em pleno. Aprender em família e definir um momento do dia em que só se fala a nova língua é uma atividade divertida, educativa e a maneira mais rápida e ideal para se sentir num país estrangeiro.

A segunda coisa que pode fazer é aprender receitas do mundo. Apesar de a cozinha portuguesa ser uma tentação, nada melhor que aproveitar este tempo para se aventurar em novas experiências gastronómicas. Esta é a oportunidade para aprimorar os dotes culinários e experimentar receitas que nos façam viajar, a partir de sugestões da internet, por exemplo. Desde as massas italianas aos croissants e crepes franceses, pode viajar pela culinária. Um jantar de tapas, por exemplo, sabe sempre a escapadinhas a Espanha.

Em terceiro lugar, nada como ver filmes gravados em cidades. Já se sabe que ver televisão é sempre uma solução infalível para passar tempo numa circunstância como esta. Mas há alguns que o levam mesmo, a certo ponto, a conhecer um novo país ou cidade, de tal forma que a exploram ou que são dedicados a ela. Destaque para “Meia Noite em Paris”, “Antes de Anoitecer ou “London Has Fallen”, mas não faltam opções. 

A quarta opção é uma das iniciativas mais incríveis que, a nível mundial, se verificou neste tempo de contenção. Vários museus e teatros de todo o mundo disponibilizaram visitas virtuais para os apaixonados por cultura, história e arte. É tudo gratuito e tudo online. Sem ser preciso sair de casa ou esperar em filas, é agora possível visitar museus como o Museu Britânico em Londres, o Museu Van Gogh em Amsterdão, o Museu de Orsay em Paris ou a Galeria degli Uffizi, Itália.

Finalmente, uma das sugestões mais óbvias, porém positivas a nível psicológico, é planear. Sendo certo que a situação não irá durar para sempre pode, em papel ou digital, começar a criar um bucket list travel map por exemplo. Isso mesmo: desenhar o mapa mundo, assinalando com uma cor todos os países que já conhece e, com uma cor diferente, todos os países para onde pretende viajar — quando for possível fazê-lo em segurança para todos.