Viagens

Sakura: guia para as cerejeiras em flor no Japão

Deixa as ruas e os rios cor-de-rosa e é um dos mais incríveis espetáculos naturais. A NiT diz-lhe quais os melhores sítios, onde ficar e o preço da viagem.

Se em Portugal a primavera já é razão para celebrar, no Japão esta estação do ano atinge níveis extraordinários. A culpa é das cerejeiras em flor, um fenómeno natural, mas não menos espetacular por isso. As ruas ficam cor-de-rosa e nem os lagos escapam à chuva de pétalas rosadas. Ao florescimento das cerejeiras japonesas, que ocorre principalmente entre março e abril – altura em que começa a primavera no hemisfério norte — os japoneses chamam Sakura. Em média duram cerca de duas semanas e durante esse tempo as cidades onde há maior concentração destas árvores, enche-se de turistas que querem ver este espetáculo natural.

Mas as flores não são sempre pontuais como os turistas gostariam: há anos em que chegam mais cedo e outros, especialmente quando as temperaturas são mais frias, que atrasam ou fazem com que morram mais rápido.

As árvores, de porte médio, têm galhos finos e ficam cheias de flores brancas e cor-de-rosa. O espetáculo fica ainda mais completo quando, com a brisa, as pétalas caem pelo chão numa espécie de “chuva de flores”.

A flor de cerejeira, é considerada um símbolo nacional no Japão e por isso é normal que se encontrem muitos locais para admirar e fotografar. Mas nesta altura estão igualmente previstos muitos turistas encantados pela beleza natural que esta época do ano oferece.

Apesar de o evento começar em março, em Okinawa já aconteceu. Isto porque esta província fica a sul do Japão e o clima é um fator importante para a Sakura – quanto mais ameno, mais cedo as flores se abrem. Okinawa esteve em flor desde o fim de janeiro até ao início de fevereiro. Mas há muitos outros sítios que só em março e abril é que atingem o auge da época. Aliás, à volta de muitos dos castelos e santuários no Japão (além dos parques), há muitas árvores.

 

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo  

outros artigos de out of town