NiTfm live

Viagens

Há uma empresa de safaris que deixa matar leoas a quem pagar para caçar um leão

É, muito provavelmente, uma das promoções mais cruéis de sempre, mas é real. Foi criada pela empresa sul-africana Mkulu African Hunting Safaris.
Safaris de caça.

Uma empresa de safaris sul-africana, a Mkulu African Hunting Safaris, decidiu lançar uma das promoções mais controversas de sempre no seu site, que está a gerar uma onde de indignação à escala mundial E é fácil perceber porquê. O anúncio não pode ser mais gráfico: “Pague para caçar um leão e mate uma leoa de graça”. Isso mesmo, quem pagar para matar um animal, recebe como bónus a possibilidade de matar outro, só por desporto, claro.

Na proposta que se encontra no site oficial pode ainda ler-se: “Adicione uma leoa a qualquer uma das categorias 2, 3, 4 ou 5 de caça de leões sem nenhum custo extra”. Mais detalhadamente, a proposta com o título “Ofertas especiais de caça de leões africanos de 2019 — dois pelo preço de um” refere que, se um cliente levar um companheiro de caça, e cada um caçar um leão, recebem três mil euros de crédito se caçarem um leão da mesma categoria.

Se, por exemplo, os caçadores decidirem pagar para matar um leão da categoria 3, por 23.500€, os dois recebem o seu leão dessa categoria a 20.500€, e têm direito a caçar uma leoa extra, sem custos adicionais. “Faça as contas e verá que poupa cerca de 10.000€ por caçador”, refere o anúncio que a empresa apelida esta repugnante promoção de “incrível oferta”.

Na África do Sul, a caça de animais é legal, no entanto, é condenável para muitas pessoas e organizações. O fundador da campanha “Ban Throphy Hunting”, Eduardo Gonçalves, referiu ao jornal “Mirror” que “o negócio da indústria da caça de troféus está a crescer. Antes, eram só donos de terras e coronéis que caçavam em safaris. Hoje em dia, são engenheiros, gerentes de empresas de serviços ou até mesmo reformados que querem matar animais por diversão”.

“Promoções de última hora e ofertas de cancelamento significam que alguns caçadores andam a fazer compras e a procurar descontos. É como a Black Friday [sexta-feira negra], mas para os animais todos os dias são negros”, diz este responsável.

“Estamos a testemunhar uma crise de extinção de espécies, ao mesmo tempo que permitimos cada vez mais caçadores a matar animais raros”, acrescenta.

As comparações com a Black Friday são até feitas pela própria empresa, no seu site. Ao fazer uma pesquisa no Facebook ou Twitter pelo nome “Mkulu African Hunting Safaris”, é possível ver várias partilhas desta oferta gerando inúmeros comentários de revolta e condenação. Além de vários locais na África do Sul, a empresa refere no site que atua também no Zimbabwe.