NiTfm live

Viagens

Aldeia engolida pela areia no Dubai continua a atrair milhares de turistas

Chama-se Al Madam e está a ser devolvida ao deserto. Segundo a lenda, fenómenos sobrenaturais obrigaram os moradores a fugirem.
Uma das casas.

Há uma aldeia chamada Al Madam, a uma hora de carro do Dubai, que além de abandonada, está lentamente a ser engolida pelo deserto onde se situa. Ainda assim, o ambiente, misterioso e inóspito, continua a atrair milhares de turistas todos os anos.

Ainda se nota que são antigas casas. Apesar da areia que entra pelos vidros e ocupa o espaço entre os móveis, as paredes e os quintais. A aldeia tem apenas duas filas de casas e uma mesquita. Estão todas abandonadas, praticamente cobertas por areia.

Ninguém sabe ao certo o que terá provocado esta situação. O que parece ser certo é que quem ali vivia deixou a aldeia repentinamente. Chamam-lhe “aldeia fantasma” e podem-se ver as janelas e portas abertas, pertences espalhados, tudo como se tivesse sido largado de um momento para o outro. Porquê? É aí que a imaginação das vilas que a rodeiam entra em ação.

As várias histórias que se contam sobre Al Madam remetem para forças sobrenaturais. No entanto, o local tem atraído vários visitantes intrigados, noticia a “CNN Travel”. “Tem-se tornado um local favorito para vários exploradores”, refere S.Y. Sunil, guia da Desert Safari Tours, à mesma publicação.

Apesar da sua crescente popularidade, as autoridades locais não planeiam restringir a área, ou torná-la numa atração turística oficial. Por isso, e como não há restrições ou barreiras, é comum as pessoas entrarem nas casas e na mesquita para explorar o seu interior. Já foi até criada uma hashtag no Instagram para este local, #almadam.

Residentes de vilas próximas falam numa espécie de génio que assombrou a aldeia de Al Madam e que obrigou os seus habitantes a largarem tudo para fugirem. Nem mesmo a data de construção deste lugar misterioso é conhecida. Há registos que indicam que terá sido construída em meados de 1970, mas não existem provas.

Yasser Elsheshtawy, professor de arquitetura na universidade de Columbia, tem outra teoria, mais racional. Segundo o professor, o governo criou um programa de construção de casas modernas para o povo nómada beduíno. Com a rápida construção, os edifícios tiveram falhas, entre elas a falta de eletricidade, o que poderá ter provocado a partida do povo.

Seja como for, o mistério deste local que fica a 70 quilómetros pela estrada E44, a sul da cidade de Al Madam, continua por desvendar.

De seguida, carregue na galeria para conhecer melhor este lugar incrível, através das fotografias tiradas por Jade Brimfield e partilhadas no jornal “Daily Mail”.