viagens

A Namíbia é um destino de sonho e até os príncipes querem ir para lá

O casamento real é a 19 de maio e depois Harry e Meghan partem em lua de mel. O destino mais certo é a Namíbia, um país do sudoeste africano ainda inexplorado mas já com muito para visitar. Saiba como pode ir e quanto custa.

Os safaris são incríveis.

O casamento real está a dias de distância, o Príncipe Harry e Meghan Markle vão dizer os votos perante todo o mundo no Castelo de Windsor já no próximo sábado, dia 19, e a seguir vem a lua de mel, um dos momentos mais importantes — ou pelo menos mais esperados — dos, normalmente exaustos, recém-casados.

Por motivos óbvios, de evitar paparazzi e confusões dentro do possível, ainda não foram reveladas nem as datas nem o destino certo dos noivos, sabendo-se apenas duas coisas: que a viagem não deverá acontecer logo a seguir ao casamento, pois o casal tem compromissos oficiais; e que Harry e Meghan são ávidos viajantes, apaixonados por aventuras. Tudo o resto é especulação mas há já vários meses que os media britânicos apontam a Namíbia como o destino mais provável, citando inclusive fontes próximas do casal. A prestigiada publicação “Travel & Leisure” dá este como o destino quase certo, de acordo com amigos dos noivos.

Namíbia.

Ruana, Brasil, Filipinas e Itália são outros dos destinos que têm sido avançados como possíveis, mas o magnífico país do sudoeste africano é a opção quase certa, até porque o príncipe e a noiva terão referido que a viagem poderia envolver um safari, e porque ali encontrariam privacidade garantida.

Mas o que há na Namíbia para visitar? Tanta, mas tanta coisa. Primeiro, fique a saber que os voos não são muito caros, consegue encontrar viagens de Lisboa para a capital, Windhoek, por cerca de 720€ — o pior é mesmo a duração, ultrapassa um dia de viagem, já com escalas.

A Namíbia fica no sul do continente, acima da África do Sul e tem um clima entre o quente e o ameno, com temperaturas a rondar os 25º graus nesta altura do ano. Quanto ao onde ficar varia muito, o país é enorme e com imenso para ver, mas há sites que facilitam bastante a vida, como este wheretostay.na, onde pode procurar alojamento consoante a parte do território que visita e consoante o seu percurso — aliás, pode ajudá-lo a planear toda a viagem.

A Costa dos Esqueletos.

Sobre o que visitar é um mundo, um magnifico mundo de opções: em primeiro lugar, tem uma zona de mar chamada Costa dos Esqueletos, assim chamadas pelos esqueletos das baleias e naufrágios que cobrem as dunas. São centenas de quilómetros e de barcos abandonados, e pelo meio há uma cruz a celebrar explorador português, Diego Cão, que foi o primeiro europeu a chegar à Namíbia em 1485.