NiTfm live

Viagens

A Namíbia é o destino perfeito para a lua de mel — e, de longe, o mais original

A companhia aérea angolana TAAG faz a ligação para este país do sudoeste africano e que tem muito para explorar.
O sonho de qualquer um.

Paris, Caraíbas ou Havai? Esqueça lá isso. Há destinos muitos mais giros e completamente fora do habitual para passar uma lua de mel incrível, com momentos e histórias únicas para contar aos futuros filhos. 

Conhecer África é certamente uma das viagens de sonho que muda a perceção de qualquer pessoa, pelo contacto tão próximo com a natureza no seu lado mais selvagem — entre outros motivos. E nada melhor do que passar por essa experiência com a nova pessoa mais importante da sua vida.

Para os casais que gostam de aventuras e de destinos fora das rotas habituais, a Namíbia é um país a colocar na bucket list. Mas o que há na Namíbia para visitar? Tanta, tanta coisa. A Namíbia fica no sul do continente africano, acima da África do Sul. Tem um clima entre o quente e o ameno, com temperaturas a rondar os 30º graus nesta altura do ano — em que a Europa está prestes a receber o inverno.

A principal porta de entrada na Namíbia é Windhoek, capital do país. Mas o país é tão grande que há imensas atividades outdoor, safaris, parques naturais, trilhos selvagens e enormes extensões de deserto para passar uns dias de fato de treino vestido e sapatilhas confortáveis.

A Namíbia é famosa pelas dunas de areia gigantes de Sossusvlei — que podem ser vistas em trilhos pedestres ou balão de ar quente com a Samawati Hot Air Ballooning ou a Namib Sky Balloon Safaris— e por ser uma terra de contrastes, entre o deserto seco e a costa cheia de animais selvagens.

Um dos locais imperdíveis para os mais aventureiros, sobretudo para quem gosta de safaris, é o Parque Nacional Etosha, onde pode observar leopardos e leões, girafas, zebras e elefantes; ou o Parque Nacional Namib-Naukluft, com atrações que incluem subir às dunas gigantes e ficar lá até ao pôr do sol. Há safaris de um único dia e programas mais completos de cinco e sete dias pela vida selvagem africana.

Uma fotografia tirada no Parque Nacional Etosha.

Há outros safaris recomendados pelos visitantes: o Wild Wind Safaris, por exemplo, é um dos favoritos dos turistas por ter programas super completos e guias experientes que conhecem os trilhos mais secretos. 

Há ainda uma zona de mar bem famosa no país. Chama-se Costa dos Esqueletos porque é lá que estão esqueletos de baleias e naufrágios a cobrir as dunas. São centenas de quilómetros e de barcos abandonados.

A Baía de Walvis é uma zona portuária da Namíbia onde o deserto e o mar se juntam. É um local inesquecível, onde se avistam leões-marinhos, focas, baleias, pelicanos e flamingos. Esta cidade é também um paraíso para os turistas praticantes de kite e windsurf.

Perto da Baía de Walvis fica Swakopmund, uma zona de prédios históricos, museus, galerias de arte, artesanato e bares à beira-mar. Ao mesmo tempo, Swakopmund é o sítio ideal para desafiar os seus limites e fazer algumas atividades radicais como paraquedismo sobre o deserto, sandboard ou passeios de moto 4 nas dunas.

Depois, claro, deve ainda visitar as gravuras rupestres de Twyfelfontein e as aldeias da tribo Himba. Se tiver tempo, espreite o lindíssimo Fish River Canyon, no sul, já perto da fronteira com a África do Sul. Este é um dos locais mais famosos por ter 161 quilómetros, uma profundidade que atinge os 550 metros de extensão e ser o segundo maior desfiladeiro do mundo, depois do Grand Canyon, nos Estados Unidos. 

Uma autêntica loucura.

Os mais aventureiros podem experimentar os trilhos de cinco a nove dias que percorrem grande parte do vale; e os praticantes de desporto de alta competição não podem falhar a grande maratona que aqui acontece todos os anos.

Para conhecer este destino precisa de tempo e de um passaporte válido, é verdade. Mas, caro leitor, vai valer bem a pena. A TAAG — Linhas Aéreas de Angola é a companhia aérea certa para fazer esta viagem. Há voos de Lisboa até Windhoek todos os dias e, desde o Porto, são três os voos semanais. Além disso, a viagem de ida é realizada durante a noite, com apenas uma escala em Luanda. 

Para janeiro e fevereiro de 2020, pleno verão no hemisfério sul, ainda consegue marcar voos (de ida e volta e taxas incluídas, sujeito a variação e disponibilidade de lugares), com partida de Lisboa ou Porto, a partir de 517€. Incrível, não é?

Paisagens lindas.
Este artigo foi escrito em parceria com a TAAG.