NiTfm live

Viagens

Há uma companhia aérea em que todos os lugares são de classe executiva

La Compagnie voa entre Nova Iorque e Paris. Todos os passageiros têm direito a champanhe e os assentos transformam-se em camas.
Aqui, todos viajam de business.

Esta companhia aérea francesa orgulha-se de ser a única no mundo a ter a totalidade do interior da cabine do avião repleta de poltronas executivas. Todos os assentos da La Compagnie são espaçosos, confortáveis e tão reclináveis que tornam-se camas perfeitamente horizontais.

Ao contrário das empresas que adotam o modelo de baixo custo para crescer, a aposta desta empresa vai no sentido oposto. Ou seja, aviões equipados exclusivamente com assentos de classe executiva. E os resultados não têm sido nada maus.Em cinco anos de operação, a La Compagnie já transportou mais de 250 mil passageiros, com uma taxa média de ocupação de 80 por cento em seus voos.

Por enquanto, o foco da empresa é a rota entre Paris, em França, e Nova Iorque, nos Estados Unidos. Todas as semanas, há dois ou três voos diários. Durante o verão do Hemisfério Norte, há mais voos sazonais e são incluídos destinos como Nice e Londres.

A bordo dos aviões há 76 poltronas com 66 centímetros de largura, que reclinam 175º e se transformam em camas. Os passageiros recebem travesseiros anti-alérgicos, cobertores macios e um kit viagem com produtos da marca francesa Caudalie. Tudo isto sem cobrar nenhuma taxa extra.

A maior vantagem da companhia aérea é não cobrar preços exorbitantes pelos privilégios da classe executiva. Em vez de 24 assentos a um preço médio de 4500 euros, a La Compagnie optou por uma aeronave de corpo mais estreito, mas configurada para receber quase o triplo de passageiros, que pagam um bilhete bem mais em conta.

Uma viagem de ida e volta, entre Nova Iorque e Paris, em fevereiro de 2020, pela La Compagnie custa cerca de 2173 euros, enquanto os bilhetes para a mesma data da pesquisa anterior pela Air France custam 7969 euros.

“A democratização da classe executiva está no nosso ADN. Podemos oferecer o melhor aos nossos passageiros sem um preço absurdo. Temos orgulho de ser uma pequena companhia aérea que faz parceria com os melhores do mercado e oferece uma oferta muito competitiva”, disse Jean Charles Périno ao jornal “Expansión“, vice-presidente executivo de vendas e marketing e um dos fundadores da empresa.

O menu de bordo e a seleção de vinhos e champanhe é assinado pelo chef Christophe Langrée. No voo diurno entre Paris e Nova Iorque, é servida uma entrada fria, um prato quente, uma tábua de queijos e sobremesa. Antes da aterragem, os passageiros têm ainda a opção de três snacks salgados e três doces. 

Já no voo de Nova Iorque com destino a Paris, é servida apenas uma refeição leve com salada, sopa, tábua de queijos e sobremesa. Antes da aterragem, no entanto, é servido um pequeno almoço completo, incluindo um croissant feito pela Maison Kayser.

O conforto de um avião apenas com classe executiva.