NiTfm live

Turismos Rurais e Hotéis

Vila Valmonte: esta casa holandesa é um dos belos segredos do Alentejo

Tem seis quartos, seis tendas de glamping e uma Hollyday House. E tem, sobretudo, um ambiente intimista e familiar.
A piscina principal vai ser aquecida para o inverno.
80

Para onde gostamos de ir quando fazemos uma escapadinha longe de casa? Um lugar calmo, onde possamos apanhar sol, mergulhar numa piscina, ver milhares de estrelas à noite e ainda chegar ao quarto e pensar: “Quero ter esta mobília na minha casa”.  

Foi exatamente isso que pensaram Fonneke e Theo, quando vieram juntos da Holanda há 15 anos para viver em Portugal. Theo sonhava em ter uma casa no Alentejo desde pequeno, sobretudo depois de ter passado vários verões na zona da Galé com a família. Em 2002, decidiu arriscar tudo para concretizar esse sonho. Vendeu o seu negócio na Holanda, convenceu a namorada Fonneke a fazer o mesmo e, juntos, compraram uma casa na Aldeia do Rouquenho, perto de Ferreira do Alentejo. Passaram os 12 anos seguintes a alargar e a preparar esta propriedade para se transformar numa belíssima zona de turismo — o Vila Valmonte. 

Centenas de horas de trabalho e um milhão de euros de investimento depois, o casal inaugurou esta Holiday House, com capacidade para seis pessoas, seis tendas de glamping e quatro quartos de bed & breakfast em abril deste ano. O verão foi um sucesso diário, com todos os quartos e tendas ocupadas a 100%.

Quando abrimos pela primeira vez a porta de um espaço onde vamos ficar durante uns dias sentimos sempre aquela mini ansiedade. Será que é confortável? Será que é bonito? Vou-me sentir bem aqui? E a casa-de-banho? As almofadas terão a consistência certa? E a pressão da água do chuveiro? A mim, pelo menos, passa-me sempre isto tudo pela cabeça naquele segundo em que abro porta e ainda estou a processar todos os detalhes. No caso da Vila Valmonte, foi um alívio. A suite era mais bonita e confortável do que podia imaginar, super espaçosa, com uma mesa de refeições elegante e um quarto extra.

A decoração foi outra belíssima surpresa. Todas as peças dos quartos foram comprada na Holanda: “Ficou bem mais barato do que comprar em Portugal”, explicou-me Theo, de 60 anos. O soalho radiante em micro-cimento, acompanhado por madeira e ferro compõem aquele estilo rústico-chique que procuramos numa escapadinha no Alentejo.

Uma das várias zonas de convívio no alpendre.

Pela manhã chegou o pequeno almoço, que é servido diretamente na mesa do alpendre, junto da porta do quarto. Outro bónus inesperado é que ele chega à hora a que pedirmos na véspera — o ideal para quem gosta de dormir até mais tarde ou tem filhos pequenos. A mesa estava cheia de produtos locais, como pão, mel ou quejo, e fruta apanhada diretamente da horta a poucos metros dali. São estas pequenas atenções que me fazem escolher sempre os pequenos turismos rurais em vez dos melhores hotéis. 

Ao longo do dia o tempo passa ao seu ritmo, entre as dezenas de árvores de fruto que rodeiam os quartos, o pequeno parque infantil, ou as burrinhas Thelma e Louise — sim, como no filme — que vivem ao lado da piscina. Há vários cantos e zonas relaxantes preenchidas com sofás e espreguiçadeiras ideais para ler um livro ou simplesmente adormecer a meio da tarde. Tudo é acolhedor, intimista e, acima de tudo, familiar. É fácil sentirmo-nos em casa por aqui. 

Claro que este pequeno parêntesis dá muito trabalho. Mais do que se imagina. “É sempre preciso podar árvores, pintar ou retocar alguma coisa, tratar das piscinas (são oito ao todo, uma para cada tenda e duas principais), da horta ou das árvores de fruto”, queixa-se Theo, que, apesar de já ter 67 anos, continua a trabalhar todos os dias do ano naquela propriedade.

As tais tendas de glamping — com cozinha, casa de banho e piscina privada — não estão disponíveis durante os meses de inverno, mas a casa de férias e os quartos vão estar abertos em qualquer altura. É precisamente por isso que Fonneke e Theo pretendem montar um sistema de aquecimento na piscina exterior nas próximas semanas — além da sauna, que também já foi inaugurada no verão. 

A belíssima suite só tem peças holandesas.

No fundo, a ideia principal do Vila Valmonte é esta: Fonneke e Theo adoram receber pessoas na sua casa. Isso é subtil nas pequenas coisas e evidente nas maiores. Quando, por exemplo, recebem famílias inteiras na Holiday House ou nas tendas de glamping, até organizam um jantar para todos na sua própria casa. Essa refeição costuma acabar com uma festa na piscina, num ambiente de discoteca. 

Esta propriedade  também está preparada para receber casamentos. A cerimónia é feita ao ar livre, com a quinta como cenário. Se os noivos quiserem, podem dormir numa suite que é preparada especialmente para a noite de núpcias — e que é, precisamente, o quarto de Fonneke e Theo. 

Os preços para uma estadia começam nos 65€ para os quartos de bed & Breakfast; 80€ na Holiday House; e 120€ para o glamping. As reservas podem ser feitas através do email info@nullvilavalmonte.eu ou do número de telemóvel 91 7757354.

Assim que lá chegar, pode ter a certeza de uma coisa: Fonneke e Theo vão recebê-lo com um abraço e despedir-se no portão com um adeus. “Estamos a receber as pessoas na nossa casa, não faz sentido fazermos de outra forma”.