NiTfm live

Turismos Rurais e Hotéis

Como a australiana Leyla Acaroglu abriu um retiro para o cérebro em Tomar

O espaço abriu oficialmente a 15 de junho.
Já pode reservar os programas.

Leyla Acaroglu é australiana, designer de sustentabilidade, socióloga, empresária, nomeada Champion of the Earth (Defensora da Terra, numa tradução livre) pelas Nações Unidas, autora de vários livros e TED talks. Criou um método de design disruptivo e é agora responsável por uma quinta com 1,5 hectares em Tomar.

“A ideia de criar um brain spa (spa para o cérebro) surgiu há seis anos. Procurei por um sítio nos EUA, país onde vivia, mas não estava a encontrar o que queria. Decidi então vir para a Europa”, conta Leyla à NiT.

A designer esteve em Portugal há dez anos, de férias, e a estadia que deveria ser de um par de dias, no Porto, transformou-se numa semana de encanto pela cidade. “Quis que o novo projeto fosse em Portugal porque era menos cliché para mim, poderia ter ido para o sul de França ou o norte de Itália, mas até já há espaços parecidos lá”, refere.

Mas, afinal, o que é um brain spa? “Tive esta ideia de um sítio onde podes ir para regenerares o cérebro, interagir com outras pessoas que estão apaixonadas e entusiasmadas com a possibilidade de um futuro sustentável e que possam criar um verdadeiro exemplo de sustentabilidade contemporânea”, explica.

Importante era a escolha de uma área rural. Foi na Serra de Tomar que encontrou uma quinta, com cem anos, abandonada. Os últimos dois anos foram passados a reconstruir a propriedade. O CO Project, como chama ao espaço, abriu oficialmente a 15 de junho e tem como principal objetivo promover a sustentabilidade.

“Sabemos que há vários problemas sociais e ambientais no mundo e é importante que tenhamos várias pessoas criativas e dedicadas, como engenheiros, cientistas, ou empresários a trabalhar para descobrir as possibilidades de como podemos viver uma vida mais sustentável agora e no futuro”, conta de forma determinada.

Não funciona como um hotel ou guesthouse individualizados, mas sim como experiência, como retiro com dormida numa quinta onde consegue desligar de tudo. “A maioria dos programas que oferecemos estão muito focados em escolhas individuais de vida e depois temos programas mais avançados sobre teorias e práticas de ativação de sustentabilidade”, explica a designer de 36 anos.

Há programas de um, três ou cinco dias. Os de um dia servem para conhecer a quinta e ter algumas aulas práticas. Os programas de três dias regem-se pela simples premissa de que “três dias na natureza é o melhor remédio que há”. Já os de cinco dias são a verdadeira experiência de brain spa, ou spa criativo.

Cada retiro tem um foco diferente, mas todos se centram na comida e na estimulação cerebral. Depois, em cada um, há algo mais específico que pode ser aprender o processo de fermentação de alimentos, agricultura em pequena escala, cozinha orgânica, desperdício zero ou até participar numa prova de vinhos.

O plano, por agora, é ter o espaço aberto no verão e no inverno. Cada programa vai adequar-se à estação em que se insere. Para cada um há convidados, especialistas em certas matérias. É também objetivo do CO Project a ligação com a comunidade envolvente. Os vinhos da adega, por exemplo, são locais.

Na quinta trabalham quatro pessoas fixas, para a construção foram chamados trabalhadores da zona. Há ainda oportunidade para estudantes estagiarem. Já as empresas que queiram, podem organizar os seus próprios retiros e alugar o espaço.

A propriedade tem uma guesthouse, uma zona de aprendizagem, um laboratório de fermentação, uma sala de aulas, uma área exterior com piscina natural e uma adega. Tem ainda um moinho que Leyla pretende restaurar no decorrer do próximo ano.

A australiana, que acredita “195 por cento” que o design pode mudar o mundo, encontrou em Portugal uma calma que não tinha no seu país de origem. “Eu e os meus colegas temos uma piada de como Portugal me ensina a ser mais calma. E eu digo que tenho de ensinar Portugal a ser mais acelerado”, conta, entre risos.

Os programas de um dia custam 120€ e incluem um workshop de comida, os de três dias custam 366€ (em quarto partilhado) ou 486€ (quarto privado) e incluem todas as atividades, alojamento com casa de banho partilhada e refeições.

Já os retiros de cinco dias custam 732€ (quarto partilhado) ou 972€ (quarto privativo) e têm tudo incluído. Os programas de três e cinco dias são limitados a 12 participantes, pelo que requerem reservas prévias feitas no site do CO Project. As atividades são dadas em língua inglesa.

Para quem quiser conhecer o espaço sem ser num retiro, tem a opção de o visitar num open day. No último domingo de cada mês, é possível ver a quinta através de uma visita guiada em português, colher vegetais e almoçar. Tudo de forma gratuita, mediante um donativo livre. Estes dias decorrem entre as 11 e as 16 horas. A reserva no site é obrigatória.

Carregue na galeria para conhecer o incrível brain spa.