NiTfm live

Turismos Rurais e Hotéis

Airbnb divulga Top 10 dos senhorios que mais lucraram em 2016 (e há um português)

Em Lisboa houve quem facturasse 2,9 milhões de euros. O primeiro lugar é ocupado por um inglês.

"It's all about the money money money".

Em 2008, uma conferência de designers em São Francisco, Califórnia, esgotou a grande maioria dos hotéis da região. Sem dinheiro para pagar a renda de casa, e percebendo a oportunidade de negócio, Nathan Blecharczyk, Brian Chesky e Joe Gebbia, estudantes de design, decidiram alugar alguns espaços dentro do apartamento. Até um colchão insuflável serviu para receber hóspedes.

Nessa noite, os três amigos perceberam que podiam ir mais longe. E se mais pessoas arrendassem as suas casas ou alugassem os seus quartos e salas? Foi assim que nasceu a Airbnb (Air, Bed and Breakfast). Durante os primeiros anos, a plataforma era composta de facto por pessoas comuns que abriam as portas de casa para receber hóspedes e ganhar algum dinheiro com isso.

Agora já não é bem assim. Pelo menos é o que podemos concluir quando olhamos para o Top 10 dos senhorios que mais lucraram com a plataforma em 2016: o primeiro lugar é ocupado por um inglês com 881 propriedades, que facturou 13,5 milhões de euros. Por cá, um português conseguiu 2,9 milhões com 204 espaços. Lá se foi a simplicidade do negócio.

Os dados foram divulgados pelo centro de análise da Airbnb, o AirDNA. Há cada vez mais empresas a gerir várias propriedades na plataforma, o que explica um número tão elevado de receitas. Segundo os números recolhidos, 65% dos anfitriões são particulares e 35% empresas.

Veja o Top 10 dos senhorios que mais lucraram em 2016 na Airbnb.

1. Londres (881 propriedades): 13,4 milhões de euros
2. Bali (504): 13,3 milhões
3. Cidade do Cabo (114): 6,5 milhões
4. Havana (132): 5,8 milhões
5. Sidney (245): 3,5 milhões
6. Paris (82): 3,4 milhões
7. Barcelona (162): 3,2 milhões
8. Madrid (124): 3,1 milhões
9. Lisboa (204): 2,9 milhões
10. Melbourne (157): 2,3 milhões