NiTfm live

Turismos rurais e hotéis

Será mesmo mais barato reservar um hotel pela Booking?

Não, não é. A NiT testou os 21 novos hotéis com mais de três estrelas do País. A conclusão é evidente.

Afinal, o que é que compensa mais: reservar uma noite ligando diretamente para o hotel, através do site ou pela Booking? A NiT fez o teste nos 21 novos hotéis com mais de três estrelas do País para responder de forma inequívoca a esta pergunta.

Apesar de a Booking se assumir como a plataforma mais barata, com “grandes promoções”, isso não é verdade. Na lista analisada pela NiT, só num hotel é que ficou mais barato fazer a reserva pela Booking — foi o caso do The 7 Hotel, em Lisboa, que tinha um desconto de 10€ em marcações pela agência intermediária.

Como é que a Booking funciona?

Os preços são sempre introduzidos pelos hotéis e as promoções e ofertas imperdíveis são uma estratégia da Booking para atrair mais clientes. Por vezes, basta o hotel baixar de forma ligeira o preço por noite para a Booking, através do seu algoritmo, gerar automaticamente uma promoção “imperdível”. Quanto aos preços introduzidos na Booking, já houve uma altura em que, de facto, não havia sítio mais barato onde reservar um quarto. Mas agora não é assim.

Até ao dia 1 de julho deste ano, a Booking não permitia que os hotéis praticassem preços mais baixos do que os que estavam no site de reservas. Era uma forma fácil de garantir que tinham sempre o preço mais baixo. Só que as regras mudaram a partir daquela data. Depois de várias queixas por práticas anti-concorrência na Europa, o que originou uma investigação das autoridades em França, Itália e Suécia — e apoiada pela Comissão Europeia —, a Booking foi obrigada a recuar nesta estratégia. Os hotéis passaram a poder praticar os preços que quisessem — e a estabelecer um valor por noite numa agência online e outro noutra. A decisão é exclusiva da administração do hotel.

Até ao dia 1 de julho deste ano, a Booking não permitia que os hotéis praticassem preços mais baixos do que os que estavam no site de reservas

“A decisão da Booking.com em implementar novas disposições de paridade em Portugal segue um acordo global com as autoridades nacionais de concorrência sueca, francesa e italiana, assim como o feedback obtido pela Comissão Europeia e outras Autoridades da Concorrência”, diz à NiT Emily Walker, Global PR Coordinator da Booking.

“Neste sentido, os hotéis portugueses, e os consumidores que fazem reservas em hotéis portugueses, vão ter os mesmos benefícios do que os seus países homólogos (…) estamos convencidos de que estes compromissos vão contribuir para uma maior transparência de mercado e para uma concorrência saudável entre os portais de reservas online”, acrescenta.

Só há uma exceção: os sites dos hotéis. Neste caso, os preços têm de ser iguais ou superiores à Booking.

“Eles [os hotéis] precisam de oferecer os mesmos preços e condições de reservas na Booking que oferecem nos seus próprios canais online, como por exemplo os sites dos hotéis”.

Não foi, porém, isso que a NiT verificou durante a investigação. Em seis casos, é mais caro reservar na Booking do que no site do hotel. “Garantir que nós temos os mesmos preços do que os sites deles”, continua a Booking, “assegura-nos de que os nossos clientes continuam a ter os melhores preços através do serviço que eles gostam”.

Reservar pela Booking só compensou em 4,8% dos casos

Ainda assim, a Booking garante que os clientes que façam reservas através desta agência e depois encontram preços mais baratos noutros sítios, sejam recompensados — a Booking assume sempre a diferença.

“Sim, nós garantimos o melhor preço para qualquer tipo de propriedade, quer seja um pequeno alojamento local independente ou um hotel de luxo de cinco estrelas. Nós assumimos a diferença de qualquer preço mais baixo que os clientes possam encontrar noutro canal”, reforça Emily Walker.

Ponto seguinte: é mais barato fazer uma reserva através do site do hotel ou por telefone?

Antes de mais, importa fazer um alerta: em muitos casos, por telefone, os hotéis deram-nos o preço de tarifas reembolsáveis. Por que é que isto é relevante? Porque estas tarifas são sempre mais caras. Na nossa investigação, escolhemos sempre as tarifas mais baratas — desde que incluíssem pequeno-almoço. Pelo telefone, os hotéis nem sempre nos explicaram que havia essas duas possibilidades — o que induz os clientes a optarem pela tarifa mais cara. Aqui fica a primeira dica da NiT: pergunte sempre quais são as tarifas não reembolsáveis quando ligar diretamente para um hotel.

Vamos então fazer as contas. Assumindo os preços que os hotéis consideram como “certos” (os valores que nos foram indicados depois de confrontarmos os hotéis com as diferenças de preços), esta é a conclusão final. Em 61,9% dos casos, o preço da reserva por telefone é igual ao valor que está no site do hotel. Em 19% dos hotéis, ficou mais barato fazer a reserva por telefone. Em 14,3%, pelo site. E em apenas 4,8%, pela Booking.

Carregue na imagem para ler em detalhe a investigação da NiT em cada um dos 21 novos hotéis do País e para comparar os preços das três plataformas.