back in town

NASA afirma que o buraco na camada de ozono está a diminuir

Os cientistas chegaram a esta conclusão através de imagens recolhidas pelo satélite Aura durante 11 anos.

O planeta Terra está a ficar mais saudável.

A humanidade está de parabéns. Quase 30 anos depois do Protocolo de Montreal ter entrado em vigor, a NASA conseguiu provar que o buraco da camada de ozono está a diminuir. Em 1987, as Nações Unidas criaram este tratado para reduzir ou até mesmo acabar com a utilização de clorofluorcarbonetos (CFCs), químicos que contêm cloro.

A medida deu resultado. Entre 2005 e 2016, o satélite Aura registou alterações na espessura da camada de ozono. Estes dados foram recolhidos diariamente durante o inverno ártico, entre julho e setembro.

“Neste período, as temperaturas na Antártida são muito baixas, pelo que a taxa de destruição da camada de ozono depende principalmente da quantidade de cloro existente”, diz Susan Strahan, da NASA, ao site “ScienceAlert”.

Ao fim de 11 anos, a NASA concluiu que, de facto, regulamentar o uso de CFCs funcionou. As imagens recolhidas pelo satélite confirmam que houve uma redução de 20% no buraco da camada de ozono.

“Vê-se claramente que o cloro dos CFCs está a diminuir no buraco de ozono”, continua Strahan. “Isto mostra que o Protocolo de Montreal está a resultar.”

Sendo que os gases emitidos pelos clorofluorcarbonetos podem levar entre 50 a 100 anos a desaparecer na totalidade, se tudo continuar como até agora, o buraco na camada de ozono deverá estar dissipado por volta de 2080.