NiTfm live

miúdos

Sai da frente, Pokemón Go: vem aí o Caça Fantasmas Go (e o mundo vai parar)

Quando há fantasmas verdes e viscosos, Who you gonna call? Toda a gente, pelos vistos, e já em 2018.

Quem não se lembra do Stay Puft Marshmallow Man

Lembra-se certamente de 2016: o ano que ficou marcado pela vitória épica de Portugal no Campeonato Europeu de Futebol, pelo golo do Éder, pela tomada de posse de Marcelo Rebelo de Sousa como Presidente da República, pela estreia da Web Summit em Lisboa e pelo Pokemón Go. Lançado em junho, o jogo tornou-se rapidamente num sucesso à escala mundial, um hábito em massa, com milhares de pessoas simplesmente a não conseguir parar de caçar Pokemóns em todo o lado — mesmo em todo o lado.

Foram mais de 750 milhões de downloads de uma simples aplicação ou jogo de realidade aumentada, e seria de esperar que alguém se lembrasse de replicar a ideia (há meses que já se fala num Harry Potter Go, dos mesmos criadores, para o final deste ano). Mas o que ninguém esperava era algo tão incrível: Um Caça-Fantasmas Go.

Na realidade, a app, com lançamento previsto para os próximos meses, chama-se Ghostbusters World, mas o conceito é exatamente o que parece: caçar fantasmas, verdes e viscosos, bonecos de marshmallow assustadores, por todo o lado, com armas idênticas às dos Caça-Fantasmas — basicamente, tornar-se um “Caça-Fantasmas“, como os do filme de 1984.

O trailer oficial do jogo foi publicado esta semana e a internet está louca, até com algumas vozes críticas também, com comentários a dizer que o jogo parece conseguir destruir tanto o culto do Pokemón como o do Caça-Fantasmas de uma vez. Mas a maioria dos comentários são de total expetativa e euforia.

O jogo vem da Sony e chega a Android e iOS ainda este ano, sem data certa. Sabe-se já que os jogadores podem capturar centenas de fantasmas de todas as dimensões da marca.

E até o diretor e produtor dos filmes, Ivan Reitman, já se pronunciou e disse que o universo Caça Fantasmas sempre teve personagens muito ricas “e o Ghostbusters World será um meio perfeito para os conhecer, numa dimensão completamente nova”.